Conheça cinco influentes investidores que apostam contra a economia chinesa

O Wall Street só percebeu que a China estava entrando numa situação econômica difícil no início de 2016. Entretanto, alguns investidores conhecidos de “Fundos Hedge”, que mantiveram seus olhos sobre a China por um bom tempo, estão lucrando com a crise econômica do país.

1. John Burbank, Passport Capital

A maioria dos “Fundos Hedge” que apostam contra a China vêm a moeda como o representante máximo da economia. O investidor John Burbank diz que se a desvalorização do yuan chegar a 15%, os efeitos sobre o sistema financeiro mundial se assemelhariam ao que aconteceu após 11 de setembro de 2001, quando ocorreu o atentado sobre as Torres Gêmeas em Nova York, EUA.

“Não se consegue restringir a saída de dinheiro do país. Uma queda de 15% no valor da moeda poderia ser o equivalente ao que aconteceu com os mercados após 11 de setembro”, disse Burbank em entrevista à Bloomberg.

Leia também:
Gráficos mostram fim do modelo de crescimento da China
China e Rússia desenvolvem armas para uma guerra relâmpago, diz Secretário de Defesa dos EUA

2. Mark Hart, Corriente Capital

Mark Hart é um investidor pouco conhecido, porém muito bem sucedido. Ele corretamente previu a “Crise do Subprime”, assim como a crise financeira europeia. Também, desde 2010, tem falado sobre o colapso de crédito na China.

“Um crescimento extremo de crédito geralmente acarreta a falência do sistema”, disse ele em uma entrevista à RealVisionTV. Ele acha que a moeda chinesa vai perder 50% de seu valor em 2016.

3. Kyle Bass, Hayman Capital

Kyle Bass, colega de Mark Hart, também previu a “Crise do Subprime” e possui a mesma opinião que Hart sobre o futuro da economia chinesa. Bass afirma que o sistema bancário chinês será o epicentro da crise de crédito, levando ao colapso do yuan.

“Na China, o sistema bancário vale quase US$ 35 trilhões, versus um PIB de US$ 10 trilhões. Seu sistema bancário cresceu 400% em 8 anos com empréstimos de ‘créditos não performados’, que são basicamente inexistente. Então, o que vamos ver a seguir é um ciclo de crédito e, em um ciclo de crédito, você sofre algumas perdas. Mas se o sistema bancário da China perde 10%, eles perderão US$ 3,5 trilhões”, disse Bass a CNBC.

4. James Chanos, Kynikos Associates

Para muitos, James Chanos é um visionário sobre a China. Em 2009, ele foi um dos primeiros a prever a bolha imobiliária chinesa. Segundo Chanos, o crescimento da China não é um milagre e os Estados Unidos poderiam ter feito a mesma coisa. “Se [a economia dos EUA] estivesse expandindo seu crédito entre 30% ou 40% ao ano, o país estaria crescendo em altos dígitos”, disse ele, desacreditando que a visão histórica de crescimento da China seja um milagre econômico. “Não há muita magia se você pode pegar o dinheiro emprestado”.

5. George Soros

Embora George Soros não tenha diretamente mencionado a China quando disse que as moedas asiáticas estão em curto-circuito, a mídia estatal chinesa se sentiu ofendida e escreveu um artigo contundente chamado: “Declarando guerra à moeda da China? Ha Ha”, para assustar Soros e outros especuladores. Soros disse que um pouso forçado da economia chinesa é inevitável.

Leia também:
Bank of America: China está em um caminho sem volta
Luta contra extração forçada de órgãos na China é indicada ao Nobel da Paz
Violentada e quase morta por seus órgãos, chinesa conta história horripilante

 
Matérias Relacionadas