Composição espetacular do aglomerado de estrelas Messier 47 encanta observadores

O Observatório Europeu do Sul (ESO), divulgou uma imagem do aglomerado estelar denominado Messier 47. Esta foi capturada por uma câmera instalada em um telescópio do Observatório de La Silla, no Chile.

Em sua nota de 17 de dezembro, os astrônomos explicaram que esta imagem faz parte do programa Jóias Cósmicas do ESO, que tem como objetivo obter imagens de corpos espaciais que sejam “interessantes, intrigantes ou visualmente atrativos (…) para efeitos de educação e divulgação científica”.

Leia também:
Astrônomos descobrem embrião de estrela com 500 vezes a massa do Sol
Boas notícias do espaço: ‘muro invisível’ defende Terra contra radiação letal
Suécia planeja desenvolver o turismo espacial

Messier 47 está na constelação da Popa, a aproximadamente 1.500 anos-luz de nós, e é composto em sua maioria por estrelas azuis, o que indica que são quentes e têm um tempo de vida maior.

Entretanto, Messier 47 também possui algumas estrelas vermelhas, as mais frias. Por meio do estudo detalhado das cores das estrelas, os astrônomos podem obter muitas informações sobre elas, como sua composição química e até sua velocidade de rotação.

ESO mantém, no Chile, três observatórios de ponta, o La Silla, o Paranal e o Chajnantor; é financiado por 15 países, entre eles, Brasil e Espanha; e é o parceiro europeu do telescópio ALMA.

Essa sequência de vídeo nos leva a uma viagem para o aglomerado estelar Messier 47, que fica perto da Terra. Conforme nos aproximamos, também podemos ver o contrastante aglomerado Messier 46, o qual é rico em estrelas, mas fica mais distante.

A vista do close final foi tirada usando a câmera Wide Field Imager, instalada no telescópio MPG/ESO de 2.2-metros no Observatório La Silla do ESO, no Chile. Messier 47 é dominado por um salpicado de brilhantes estrelas azuis, mas também contém algumas contrastantes estrelas vermelhas gigantes .

 
Matérias Relacionadas