ARTIGO - Publicado em - Atualizado em 20/05/2015 às 8:44

Como tratar naturalmente as dores causadas pelo frio

É possível melhorar as artralgias devidas ao frio através do uso de ervas e recursos naturais

Wim Hof, o "Homem de Gelo" mostra que a saúde se constrói com o corpo e com a mente (Henny Boogert)

Wim Hof, o "Homem de Gelo" mostra que a saúde se constrói com o corpo e com a mente (Henny Boogert)

O clima frio traz consigo bem-estar para muitas pessoas, o ar tende a se tornar mais limpo de bactérias e vírus, nos alimentamos melhor e a disposição física dos trabalhadores braçais se torna mais vigorosa.

Por outro lado, muitas pessoas também sofrem com o clima frio, ficando mais resfriadas, sentindo frio no corpo e nas extremidades (mãos e pés) e, em alguns casos, padecendo de dores nas articulações do corpo.

Leia também:
Visão da medicina chinesa sobre as artralgias causadas pelo frio
• Dieta vegana é excelente tratamento para artrite
• Saiba como o leite pode afetar a sinusite

Mas, é natural que as pessoas sintam-se abatidas, resfriem-se mais e sofram de dores articulares no frio?

Na verdade, as pessoas saudáveis adaptam-se bem a quaisquer condições climáticas, mesmo que seja em condições extremas de frio ou de calor, como nos mostram os nômades que vivem no deserto e os índios e esquimós que vivem em temperaturas baixas, que alcançam os 40 ou 50 graus negativos.

Entretanto, mesmo entre esses povos existem pessoas que padecem e adoecem por causa dessas condições extremas, mas são raras e, normalmente, adoecem quando adotam o estilo de vida do homem civilizado e deixam de se manter fiéis aos hábitos culturais de seus povos.

O famoso dentista e pesquisador Weston A. Price estudou in loco, durante anos, alguns povos isolados que mantinham suas culturas tradicionais originais. O resultado de suas pesquisas – que está em seu livro Nutrição e Degeneração Física – mostra como a introdução de nossos hábitos alimentares e de nossas “inquestionáveis orientações científicas” tiveram resultados devastadores para essas populações, levando-as a desenvolver doenças associadas ao estilo de vida moderno, como bronquite, artrite, cáries, câncer, turberculose, hipertensão etc e uma alta taxa de mortalidade, que antes eram inexistentes entre elas.

Isso mostra que nem sempre o progresso tecnológico e a ciência moderna estão corretos ou são sempre benéficos: ainda que através do saneamento básico e das vacinas tenhamos detido as epidemias mortais que assolaram o mundo em tempos passados, nosso atual estilo de vida tem tido resultados devastadores para a saúde mundial e representa um desafio alarmente para a saúde pública.

O que se conclui é que é o estado de saúde competente – o qual mantém o indivíduo resistente às condições climáticas e às doenças – não depende de vacinas, mas sim fundamentalmente de hábitos cotidianos saudáveis e inteligentes.

Vencendo o frio e as dores no sistema músculo-esquelético

Antes de abordarmos os meios curativos, vamos informar sobre os hábitos e agentes que minam nossos recursos defensivos contra o frio e a umidade:

Banho excessivamente quente. A pele e a parte do sistema sanguíneo que a serve são muito sensíveis às temperaturas, moldando-se a elas para manterem o corpo protegido e termicamente equilibrado. Quando tomamos constantemente banho muito quente, a pele se torna desgastada e fraca, porque vai sendo lesionada pelo excesso de calor, perdendo boa parte da queratina (um tipo de proteína bastante forte que protege a pele) e da gordura que protege a pele. Além disso, com o calor excessivo, os vasos sanguíneos que irrigam a pele se tornam fracos e pouco competentes para nutri-la, tornando a superfície do corpo resfriada (cronicamente mais fria do que o normal) e incapaz de proteger o organismo do frio.

Excesso ou falta de roupas. Da mesma forma que o banho quente – porém em menor grau – o excesso de roupas cobrindo o corpo torna a pele e a parte superficial do sistema sanguíneo incompetentes para aquecer o corpo durante o frio. Por outro lado, deixar o corpo sempre mal coberto, especialmente em condições de clima úmido e frio pode afetar e adoecer pessoas que não tenham uma saúde muito vigorosa. O ideal é manter um corpo ativo e bem disposto, com suficientes roupas, sem hiperaquecer o organismo ou deixá-lo constantemente resfriado.

Ambientes hiperaquecidos. As pessoas que vivem em países frios sabem que nas últimas décadas as crianças se tornaram muito mais vulneráveis ao frio e adoentadas do que eram as crianças de antigamente. Muitas dessas pessoas sabem que isso se deve ao hiperaquecimento dos lares com aquecedores e pisos térmicos, o que prejudica o estado de equilibrio térmico do organismo e a capacidade protetiva da pele contra o frio. Esses ambientes hiperaquecidos artificialmente enfraquecem a pele, os músculos e os pulmões das pessoas, especialmente das crianças e dos idosos, porque impedem que essas estruturas orgânicas se tornem vigorosas e competentes ao entrarem em contato com o clima e gerarem respostas saudáveis do organismo para se adaptar ao clima frio. O mesmo vale para o ar-condicionado dos carros e lojas, que torne o ambiente hiperaquecido.

Ambientes excessivamente úmidos. A umidade é uma condição necessária para a vida e para o bom funcionamento orgânico. Mas, o excesso de umidade, especialmente quando associada ao frio, é bastante prejudicial ao organismo, porque o sobrecarrega em sua capacidade de eliminar o excesso de líquidos e umidade, podendo ocasionar acúmulo de umidade interna que afeta órgãos (vias respiratórias, pulmões, baço, intestinos, etc) e articulações. Além disso, os recintos úmidos tendem a prover um ambiente para o crescimento dos fungos, o que facilita o desenvolvimento de bolor em alimentos e mofo e outros microorganismos em partes da casa, afetando assim as vias respiratórias das pessoas, inclusive ocasionando ou piorando doenças alérgicas, como a rinite, a asma e a bronquite.

Alimentos e substâncias mucogênicas. Quando ingerimos alimentos e outras substâncias, o nosso organismo precisa ser competente para separar, utilizar e eliminar as diferentes partes dos alimentos: a água, a gordura, as vitaminas, os sais minerais, as proteínas, as toxinas etc. Quando temos um organismo fraco, intoxicado, estressado ou cronicamente abusado, sua capacidade de separar, assimilar e eliminar substâncias se torna menor e, com o tempo, o organismo acumula líquidos, toxinas, gorduras e outros resíduos do metabolismo. Em especial, quando comemos constantemente substâncias e alimentos mucogênicos (que tendem a produzir catarro no organismo, como os laticínios, os doces gordurosos, os amidos refinados, o açúcar e os alimentos e bebidas geladas etc), o corpo vai acumulando muco e líquidos, que, muitas vezes se depositam nas extremidades do organismo, gerando as doenças articulares crônicas, além de afetarem outros órgãos, como os pulmões e o baço.

Fugir do frio pode não ser a resposta

Os povos tradicionais da Europa e, especialmente, dos países gelados do norte da Europa e da Ásia enfrentavam climas extremamente rigorosos com muita habilidade e sucesso.

Seus corpos eram vigorosos e conseguiam suportar ambientes altamente inóspitos. Isso porque possuiam uma sabedoria que os adaptava perfeitamente ao ambiente e ao clima. Inclusive, em alguns países, era comum que os recém-nascidos, assim que saiam do útero materno, eram rolados nús na neve: isso provocava uma enorme reação orgânica, que ativava vigorosamente os sistemas sanguíneo, respiratório e imunológico.

Essas crianças tornavam-se robustas e praticamente nunca adoeciam, ainda que brincassem com os pés descalços na neve e com pouca roupa, coisa que adoeceria imediatamente o homem moderno.

Meios para auxiliar o tratamento das dores devido ao frio

Antes de mais nada, convém dizer que analgésicos e anti-inflamatórios podem fazer pouco por condições de dor relacionadas ao frio, e, às vezes, podem piorar muito esse tipo de dor, já que tendem a diminuir ainda mais o dinamismo orgânico e o calor interno. As dores ocasionadas pelo frio melhoram quando se aquece o organismo e se elimina o seu excesso de umidade interna.

Normalmente, os terapeutas ou médicos que utilizam a medicina tradicional chinesa, a medicina tibetana ou a medicina ayurvédica são muito hábeis em tratar esses tipos de dores ocasionadas pelo frio. Por isso, esses profissionais são muito recomendados para quem tem dores crônicas desse tipo.

Elementos terapêuticos

Gengibre. O gengibre é uma erva de natureza quente e picante, e tende a aquecer os pulmões, o estômago e o baço, ativar a circulação e aquecer o organismo. Passar a adicionar o gengibre (em pó, ou ralado, ou mesmo em pequenos pedaços) nas refeições ajuda muito a eliminar o frio interno e a umidade acumulada nas articulações. Pode-se também tomar um chá concentrado de gengibre após as refeições, ou mesmo quando estiver com frio ou vindo da friagem. Retire a casca do gengibre ao utilizá-lo.

Canela. A canela aquece os pulmões, o baço, o sangue, ativa a circulação e aquece as extremidades do organismo. Alivia as cólicas menstruais e auxilia a descida da menstruação. Pode-se usar a canela em pó polvilhada sobre doces, frutas, saladas de fruta, arroz-doce, curau etc. Também pode-se fazer chá de canela e tomar 3x ao dia, após refeições, ou quando estiver com frio. A canela não deve ser usada em casos de gravidez.

Cravo-da-Índia. O cravo-da-Índia é uma planta de características quentes e é também um tônico da energia vital. Ele aquece o organismo, aquece e fortalece os rins e ajuda a combater a poliúria (micções frequentes), entre outras coisas. Pode-se colocá-lo nos doces e/ou fazer chá para tomar 3x ao dia, após refeições.

Raíz de angélica (Angelicae sinensis). A angélica sinensis é uma erva muito utilizada na medicina tradicional chinesa para fortalecer o sangue e tratar vários problemas femininos: distúrbios na menstruação, anemia, deficiências hormonais etc. Ela é uma erva quente e excelente para fortalecer o sangue. É vendida (normalmente em cápsulas) em farmácias homeopáticas ou em lojas de produtos naturais e até em alguns mercadinhos chineses. É muito conhecida como dang gui, tan-kuei ou mesmo dong quai. Pode-se tomar 1 cápsula 3x ao dia, após as refeições; durante 30 a 45 dias.

Chá composto. Ferver em 1 e 1/2 xícara de água, por 3 minutos, um pedaço de gengibre (do tamanho e da espessura do seu dedo polegar) picado e sem casca. Desligar o fogo e acrescentar 5 cravos-da-Índia e 3 pedaços médios de canela em pau ou 1 colher de café de canela em pó. Deixar descansar por 10 minutos. Reaquecer o chá sem deixar ferver, apagar, coar numa xícara e acrescentar 1 cápsula de angélica sinensis (abra a cápsula e adicione o pó no chá pronto). Misture bem e tome 1 xícara das de chá, 3x ao dia, após refeições. Tome durante 30 dias.

Mel quente (receita extraída do artigo Sabor e saúde: a arte de usar especiarias com fim medicinal). Um ótimo recurso para aquecer o organismo e aliviar as dores ocasionadas pelo frio. Tome 1 colher de chá do Mel quente 3x ao dia, após as refeições.

Receita:
Num frasco pequeno, com boca larga coloque:
1 xícara de mel (cru)
1 colher de sopa cheia de canela em pó
1 colher de sopa de gengibre em pó
1 colher de sopa de pó de raiz de angélica (opcional)
1 colher de chá de noz-moscada moída fresca
1 colher de chá de pimenta de caiena (ou malagueta) em pó, ou 1 e 1/2 colher de chá de pimenta caiena (ou malagueta) líquida (opcional)

* Caso se utilize o Mel quente, não deve-se utilizar as ervas acima ou o chá composto: deve-se utilizar apenas uma das formas de cada vez, caso contrário, pode-se gerar um hiperaquecimento ou outras condições nocivas ao organismo.

Castanha-da-Índia. Para as dores mais concentradas nas pernas, devido a uma circulação deficiente, aconselha-se o uso de tintura ou extrato de Castanha-da-Índia. Tomar 1 colher das de chá com água, 3x ao dia, após as refeições, durante 30 dias.

Moxabustão. A moxabustão é uma técnica da medicina tradicional chinesa muito útil para o tratamento de doenças frias ou ocasionadas pelo frio. Pode-se recorrer a um acupunturista, a um terapeuta, ou a um médico que façam o tratamento através da aplicação da moxabustão; os resultados são excelentes.

Óleo essencial de gengibre. O óleo essencial de gengibre auxilia muito no tratamento de dores articulares frias (devidas ao frio e à umidade interna). Aplique algumas gotas do óleo sobre cada articulação dolorida, massageando suavemente. Agora cubra as articulações afetadas com luvas ou meias ou panos e durma com o óleo. Repita essa aplicação todas as noites por cerca de 30 dias. Normalmente, as dores vão melhorando e podem até terminar.

Ducha fria rápida. Antes ou depois do banho quente, tome uma ducha fria, por 1 minuto. Comece pelos pés, depois passe para pernas, quadril, costas, abdome, peito, pescoço e, finalmente, para a cabeça. Feito isso, passe para o banho morno ou quente e tome o seu banho. Ou, se já tomou o banho quente, apenas enxugue-se vigorosamente após  a ducha fria. Essa ducha fria rápida ativa a circulação, descongestiona o interior do organismo e fortalece a pele e a circulação cutânea. Mas as pessoas que ainda têm dores pelo frio não devem tomá-la (tomar só depois que melhorarem das dores), e também não deve ser tomada após as refeições.

Exercícios e atividades para dinamizar o sangue e aquecer o organismo. Exercícios que aquecem o corpo e dinamizam a circulação do sangue são uma chave preciosa para eliminar as dores devidas ao frio e à má circulação. Tome coragem, escolha um exercício, um esporte ou outra atividade física (caminhada, dança, Lian-Gong, ginástica ou outras) e recupere a saúde, o dinamismo e o vigor físico, eliminando, ao mesmo tempo, as dores músculo-esqueléticas.

Alberto Fiaschitello Terapeuta naturalista

Terapeuta naturalista, com formação em terapia floral, fitoterapia, quiropraxia e tui-na.

Todo conteúdo deste site está publicado sob a Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-SemDerivados 3.0 Não Adaptada. Para reproduzir a matéria, é necessário apenas dar crédito ao Epoch Times em Português e para o repórter da matéria.
Leia a diferença. Epoch Times Todos os direitos reservados © 2000-2016