Como professores podem ajudar crianças tímidas no ensino

As necessidades de crianças tímidas são importantes, mas muitas vezes negligenciadas, porque elas ficam quietas e sentadas, enquanto que crianças com problemas comportamentais ganham mais atenção dos professores.

Pesquisadores acham que uma intervenção baseada em evidências ajuda crianças tímidas, que muitas vezes estão em risco de baixo desempenho escolar, a se tornarem mais engajadas no trabalho de classe, e por sua vez, melhorarem sua matemática e habilidades de pensamento crítico.

Crianças tímidas são descritas como ansiosas, medrosas, socialmente retraídas, e isoladas. Na sala de aula, elas são menos propensas a procurar a atenção de professores e engajarem-se em trabalhos de equipe.

Leia também:
Educação tradicional chinesa era focada na elevação espiritual
Luiz Pondé: filósofo fala sobre bullying ideológico na educação
Professor de educação física ensina às crianças ‘Como não ser corrupto’

Como resultado, a pesquisa mostra que elas podem ter dificuldades na escola, e que os professores podem percebê-las como menos capazes ou inteligentes do que os outros estudantes mais extrovertidos.

“As necessidades de crianças tímidas são importantes, mas muitas vezes negligenciadas, porque elas ficam quietas e sentadas, enquanto que crianças com problemas comportamentais ganham mais atenção dos professores”, diz o professor Sandee McClowry, um professor de psicologia aplicada na New York State University e autor sênior do estudo School Psychology Review (Revendo a psicologia escolar).

“É importante manter as crianças tímidas envolvidas, sem sobrecarregá-las.”

Não tente mudá-las

Timidez é um dos quatro temperamentos identificados pela INSIGHTS into Children’s Temperament (Insights sobre Temperamento Infantil), uma intervenção projetada para ajudar professores e pais a equilibrar as demandas do ambiente externo com a personalidade das crianças.

O programa provê um quadro para apreciar e apoiar diferenças de personalidades de crianças, em vez de tentar mudá-las.

Participantes do programa aprendem a reconhecer quatro temperamentos: tímido; sociável e ansioso para experimentar; laborioso; e carente emocionalmente, que pede por muita atenção.

Para o estudo, pesquisadores avaliaram se a INSIGHTS apoia o desenvolvimento acadêmico — especificamente pensamento crítico, matemática e habilidades de linguagem — de crianças em escolas urbanas de baixa renda.

Cerca de 350 crianças foram acompanhados, junto com seus pais, durante o jardim de infância e através da transição para a primeira série em 22 escolas de ensino fundamental. Metade das escolas participantes serviram de dados estatísticos para a INSIGHTS, enquanto a outra metade serviu como um grupo de controle, e participou de um programa de leitura suplementar depois da escola.

“Jardim de infância e primeira série são grandes mudanças para crianças, independente de temperamento”, diz McClowry. “Por exemplo, o professor divide a atenção com um maior número de estudantes e as classes são mais estruturadas. Para crianças tímidas, essa transição é um desafio particular.”

Segurança e respeito

Nosso estudo apoia a criação de um ambiente que faça crianças tímidas se sentirem seguras e respeitadas, a fim de dar suporte ao seu desenvolvimento.

Os pesquisadores analisaram especialmente o que acontece depois das férias de verão, pois estudos têm mostrado que habilidades de risco das crianças diminuem durante o verão, enquanto elas estão fora da escola. Ao prover suporte extra às crianças durante a última parte do jardim de infância, os pesquisadores esperavam que as habilidades dos estudantes fossem mantidas durante verão.

Por dez semanas, professores e pais aprenderam no programa INSIGHTS como reconhecer diferenças em crianças, e apoiá-las de maneiras específicas para cada temperamento individual. Durante o mesmo período, crianças participaram das atividades de classe do INSIGHTS, usando fantoches, cartas, livros e fitas para as ajudar a resolver dilemas diários — como por exemplo, ter um professor substituto ou uma combinar de brincar em uma casa que ainda não conhece — e entender como os indivíduos são diferentes.

Todas as crianças matriculadas no INSIGHTS mostraram melhoras em habilidades acadêmicas, porém os efeitos foram substancialmente maiores para crianças tímidas. Elas que participaram do INSIGHTS tiveram crescimento significativo em habilidades de pensamento crítico e estabilidade em habilidades de matemática durante a transição do jardim de infância à primeira série. Em comparação, as outras crianças tímidas que participaram do grupo de controle decaíram em ambas áreas.

Os pesquisadores não observaram ganhos em habilidades de linguagem entre crianças tímidas da intervenção INSIGHTS em comparação com o grupo de controle, talvez devido aos benefícios que as crianças no grupo de controle ganharam com o programa de leitura suplementar.

“Nosso estudo apoia a criação de um ambiente que faça crianças tímidas se sentirem seguras e respeitadas, a fim de dar suporte ao seu desenvolvimento”, diz o autor principal Erin O’Connor, professor associado no departamento de ensino e aprendizado.

Nós precisamos reformular nosso entendimento dessas crianças, porque na maior parte dos casos, as crianças tímidas não vão simplesmente ‘sair de suas conchas’ sozinhas.

O Instituto de Ciência da Educação, do Departamento Americano de Educação, apoiou essa pesquisa.

New York University

* Imagem de “shy kid” via Shutterstock
 
Matérias Relacionadas