Com chuvas dentro da normalidade, a Amazônia ‘apagou’, sumiu do noticiário

Desmatamento nos primeiros meses do ano é menor que três dos últimos quatro anos

Por Diário do Poder

Não foi o coronavírus o responsável pelo sumiço do noticiário dos incêndios e desmatamento na Amazônia. Ao contrário do ano passado, 2020 começou com chuvas dentro da normalidade, segundo o Sistema de Proteção da Amazônia (Sipam), e dados em tempo real do INPE mostram desmatamento 8,8% menor que 2019 desde janeiro, 30,1% menor que 2018 e 25,6% menor que o visto em 2016, governo Dilma. A informação é da Coluna Cláudio Humberto, do Diário do Poder.

O melhor início de ano para a Amazônia Legal, segundo o INPE, foi 2017, com “apenas” 233,68 km2 desmatados. Metade do nível atual.

Em abril do ano passado já pipocavam notícias, algumas falsas, sobre o aumento do desmatamento e as primeiras menções a incêndios.

A pesquisadora Erika Berenguer (Oxford) citou as altas temperaturas e secas piores causadas pelo aquecimento global para explicar 2019.

 
Matérias Relacionadas