Três coincidências fantásticas sobre nosso sistema solar

1. A astronomia antiga já tinha conhecimento sobre os átomos, descobertos somente em 1913

Na antiguidade, os planetas eram associados a sete tipos de metais conhecidos. Os planetas também eram organizados de forma tradicional.

Em 1913, Henry Gwyn-Jefferies Moseley descobriu um meio de medir o número atômico, tendo portanto, numerado os elementos.

A organização tradicional dos planetas, utilizada comumente há mil anos antes da descoberta de Moseley, correspondem às ordens dos elementos descobertos por ele.

Os planetas, o sol e a lua estão listados nesta tabela de acordo com a organização tradicional
Os planetas, o sol e a lua estão listados nesta tabela de acordo com a organização tradicional

Esta coincidência está listada no livro: “O pequeno livro sobre as coincidências de nosso sistema solar” escrito por John Martineau.

2. Padrões entre as estrelas e galáxias demonstram estar alinhados com a direção dos movimentos solares

Dragan Huterer, um professor de física da Universidade de Michigan e cosmologista teórico, explica em um artigo de astrologia como alguns padrões observados no universo podem ser coincidências impressionantes ou sinais de uma estrutura por trás de todos entendimentos científicos obtidos do sistema solar e do universo.

Ele pesquisa fundo de micro-ondas cósmicas, que representa uma foto do universo primitivo.

Prótons, fótons e elétrons envolvidos por uma densa massa no universo primitivo. Esta massa era então utilizada para viajar pelo cosmos. Huterer descreve o fundo de micro-ondas cósmicas como uma “neblina de fótons vindos de todas direções, preenchendo todo o universo”.

Uma análise dos pontos quentes e frios desta neblina revela padrões básicos. Estes padrões demonstram certos alinhamentos que possuem menos de 0.1% de probabilidade de ocorrerem em qualquer outro cenário, afirma Huterer.

Kate Land e Joao Magueijo da Faculdade Imperial em Londres, encontraram, por exemplo, alinhamentos de temperaturas enigmáticos dentro deste fundo de radiação cósmica em micro-ondas e também alinhamentos com o movimento solar pelo espaço.

“Eles apelidaram humoristicamente este alinhamento estranho – aparentemente o mesmo que descobrimos – de eixo do mal”, comentou Huterer.

Ele escreveu: “Muitos cosmologistas acreditam que é extremamente improvável que estes alinhamentos encontrados na RCF (fundo de radiações cósmicas) tenham ocorrido por acaso. Inclusive, basicamente todos os alinhamentos apontam para os movimentos do sistema solar ou a orientação do plano da eclíptica. Há alguma explicação mais profunda para isso?”

Um exemplo de mapeamento do fundo de radiações cósmicas medindo temperaturas, sendo as azuis as frias e as vermelhas as mais quentes (NASA)
Um exemplo de mapeamento do fundo de radiações cósmicas medindo temperaturas, sendo as azuis as frias e as vermelhas as mais quentes (NASA)

3. Medidas que estranhamente se correspondem matematicamente

Raio da Lua: 1080 milhas = 3 x 360

Raio da Terra: 3960 milhas = 11 x 360

Raio da Terra + Raio da Lua = 5040 milhas = 1 x 2 x 3 x 4 x 5 x 6 x 7 = 7 x 8 x 9 x 10

Diâmetro da Terra: 7930 milhas = 8 x 9 x 10 x 11

Existem 5280 pés em uma milha = (10 x 11 x 12 x 13) – (9 x 10 x 11 x 12)

A coincidência também foi encontrada por Martineau. As medidas foram verificadas pelo Epoch Times.

 
Matérias Relacionadas