Clássicos europeus marcam sábado de futebol internacional

Dois clássicos agitaram o futebol europeu na tarde deste sábado (26). Na Alemanha, pela 10ª rodada da Bundesliga, o Borussia Dortmund bateu o Schalke 04 por 3 a 1, fora de casa, e se manteve na vice-liderança da competição, com 25 pontos. Um a menos que o líder Bayern de Munique, que venceu o Hertha Berlim por 3 a 2, no mesmo horário. O Schalke, por sua vez, caiu para sexto lugar, com 14 pontos ganhos.

Na Espanha, a rodada foi marcada pelo superclássico entre Barcelona x Real Madrid, no Camp Nou. O Barça contou com o brilho de Neymar, que, com um gol e uma assistência, ajudou a equipe catalã a vencer o maior rival por 2 a 1.

Borussia Dortmund x Schalke

No clássico conhecido como “dérbi do Vale do Ruhr”, o Borussia Dortmund foi bem superior ao Schalke. Com um rápido ataque formado por Aubameyang, Mkhitaryan, Reus e Lewandowski, a equipe aurinegra levava perigo e chegava com facilidade à frágil defesa dos azuis reais e não demorou muito para abrir o placar. Logo aos 14 minutos, Mkhitaryan fez bom passe para Reus, que dentro da área, passou para Aubameyang completar para o fundo das redes. Foi o sexto gol do atacante gabonês, que aos poucos, vem justificando sua contratação junto ao Saint-Etienne (FRA). O Schalke pouco ameaçava até ter um pênalti a seu favor, aos 30 minutos. Boateng bateu com força, no canto esquerdo, mas Weidenfeller fez ótima defesa.

No início do segundo tempo, os visitantes ampliaram. Mikhtaryan achou o meia turco Sahin, que acertou um belo chute de fora da área e ampliou. A partir daí, diante do aparente abatimento do rival, tudo levava a crer que o Dortmund conseguiria administrar o resultado ou até mesmo aumentar o placar. Porém, aos 17, o Schalke conseguiu diminuir com Meyer, que aproveitou rebote de Weidenfeller e incendiou a partida, fazendo com que os mandantes crescessem no jogo. Porém, aos 29 minutos, em rápido contra-ataque – marca registrada da equipe aurinegra – Mikhtaryan passou para Kuba, que tocou no canto esquerdo do goleiro Hildebrand e matou as chances de reação da equipe de Gelsenkirchen. Depois de perder os dois jogos da temporada passada no campeonato para o mesmo adversário de hoje, o Borussia mostrou sua força e também que possui equipe e elenco bem superiores ao do maior rival, que por sua vez luta para voltar a ser protagonista na Alemanha.

O atacante Aubameyang comemora com o meia Grosskreus e o meia-atacante Reus o primeiro gol do Borusia Dortmund contra o Schalke (Patrik Stollarz/AFP/Getty Images)
O atacante Aubameyang comemora com o meia Grosskreus e o meia-atacante Reus o primeiro gol do Borusia Dortmund contra o Schalke (Patrik Stollarz/AFP/Getty Images)

Barcelona x Real Madrid

Pelo Campeonato Espanhol, ocorreu o primeiro Barcelona x Real Madrid da temporada, que marcou a estreia no superclássico de Neymar, pelo Barça, e de Bale, pelo Madrid. Além disso, foi o primeiro dérbi dos treinadores Tata Martino e Carlo Ancelotti.

Com um público de mais de 98.000 espectadores no Camp Nou, a partida começou com o Barcelona melhor, ajudado pela inovadora e confusa escalação de Carlo Ancelotti, que pôs o zagueiro Sérgio Ramos como primeiro volante e Bale de centroavante, deixando Illarramendi e Benzema no banco. Além disso, o posicionamento de Messi frustrou os planos do treinador merengue de anular o melhor do mundo, pois Tata Martino pôs o argentino na ponta direita, escalando Fábregas como centroavante. Isso fez com que Sérgio Ramos ficasse praticamente sem função e que Messi ficasse com uma certa liberdade.

Com isso, o Barcelona conseguiu impor o seu ritmo, com seu tradicional toque de bola rápido e envolvente. Aos 18 minutos, brilhou a estrela de Neymar, que recebeu passe açucarado do também inspirado Iniesta e bateu cruzado, entre as pernas de Carvajal, para abrir o placar. Logo depois, aos 20, Messi recebeu belo passe de Iniesta, arrancou e tocou para fora, à direita de Diego López. Foi um dos raros lances de perigo do camisa 10, que não fez uma grande partida. O Real Madrid, por sua vez, sofria com a falta de criatividade do meio campo e pouco ameaçou no primeiro tempo, mesmo tendo um poderoso ataque formado por Di María, Bale e Cristiano Ronaldo.

Na volta do intervalo, o Real conseguiu equilibrar a partida, principalmente após as entradas de Illarramendi e Benzema no lugar de Sérgio Ramos e Bale, que tiveram fraca atuação. Nas chances mais claras, Cristiano Ronaldo parou em boa defesa de Valdés e Benzema acertou uma bomba no travessão. No meio da segunda etapa, o lance mais polêmico: Mascherano derrubou Ronaldo dentro da área, mas o árbitro Alberto Undiano Mallenco nada marcou, irritando o português.

Pouco depois, o Barça conseguiu o gol que deu tranquilidade à equipe. Alexis Sánchez recebeu passe de Neymar, percebeu Diego López adiantado e tocou por cobertura, fazendo um belo gol. Já nos acréscimos, o Real descontou com Jesé, que recebeu passe de Cristiano Ronaldo e marcou com a ajuda do goleiro Victor Valdés, que falhou no lance.

Com o resultado, o Barcelona se isolou na liderança do campeonato com 28 pontos, ficando a quatro do vice-líder Atlético de Madrid e a seis do Real, que é terceiro colocado.

Com a ótima atuação deste sábado, Neymar cada vez mais se afirma no cenário europeu e garante sua vaga na equipe titular do Barcelona. Já no lado madridista, a má atuação do badalado Gareth Bale no jogo, pode ser justificada por, na maioria das vezes, ter atuado fora de sua posição, como centroavante. Carlo Ancelotti inventou demais e acabou escalando mal a sua equipe, carregando uma boa parcela de culpa na derrota.

 
Matérias Relacionadas