Civilização moderna, pessoas modernas e doenças modernas (Parte 5)

Confortos materiais

Uma pessoa deve aderir à lei da natureza, viver uma vida limpa e moral e cultivar a si mesma. Por exemplo, […] uma criança de 6 ou 7 anos de idade prefere brincar com a terra a areia ou coisas simples que encontram-se ao seu redor (Aris Messinis/AFP/Getty Images)
À medida que a sociedade se desenvolveu o conforto material tornou-se essencial para o estilo de vida moderno. A importância da riqueza material cresceu exponencialmente. A fasquia moral decaiu para o patamar mais baixo de sempre.

A vida das pessoas afasta-se cada vez mais da sua natureza primordial. Resumindo as pessoas progressivamente se desviaram do Tao e do Fa (lei e principio da escola Buda).

Um sábio de tempos antigos disse: “O principio do yin e yang é o principio fundamental do universo. É a lei da criação. Trás consigo a transformação para a geração. É a raiz e a fonte da vida e da morte e é encontrado dentro dos templos dos deuses. Para tratar e curar doenças é necessário regressar ao que é fundamental”.

A vida das pessoas modernas desviou-se do yin e yang e desestabilizaram os cinco elementos. Devido a egoísmo, as pessoas não se detêm por nada, decaem para níveis baixos e cometem toda a espécie de crimes. Tal conduta resulta em doenças que são muito difíceis ou impossíveis de tratar.

Em tempos antigos, os sábios ensinaram às pessoas que as influências perversas e os ventos malignos devem ser evitados, especialmente em certas alturas. Os antigos eram imperturbáveis e, assim, a força vital da natureza sempre os rodeava e o seu espírito fundamental era preservado dentro deles. Eles não sofriam de doenças da mesma maneira que as pessoas de hoje em dia.

Eles praticavam a disciplina com uma forte vontade e tinham poucos desejos. Mantinham-se em paz e sem receios. Eles trabalhavam duramente, mas não ficavam desgastados. O seu espírito estava tranquilo. Viviam em harmonia com o ambiente à sua volta e seguiam as leis do céu. Eram pessoas satisfeitas e as suas aspirações eram compridas. A sua comida era apetitosa e a sua roupa adequada.

Eles estavam felizes com as suas vidas. Eles estavam satisfeitos com as etapas da vida, quer pertencessem a uma classe baixa ou alta. Pode-se dizer que tinham o coração puro. A sua pureza era tal que não poderiam ser tentados. Nem riquezas nem maldade podiam atrair os seus corações.

Viviam sem medo, estavam em harmonia com o Tao. Viviam longas vidas, às vezes mais de 100 anos, estavam sempre ativos, e não se tornavam débeis. A sua virtude era exemplar.

Como uma pessoa pode seguir o Tao e o Fa? Uma pessoa deve aderir à lei da natureza, viver uma vida limpa e moral e cultivar a si mesma. Por exemplo, não importa o quão pobre ou rica uma família possa ser, não importa quantos brinquedos uma criança possui, ou o quão tecnicamente avançados são os brinquedos, uma criança de 6 ou 7 anos de idade prefere brincar com a terra ou coisas simples que encontra ao seu redor.

O comportamento humano desviou-se do yin e do yang e desestabilizou os cinco elementos. As pessoas ainda têm o desejo inato de retornar ao seu eu original. Resumindo, é tempo de as pessoas retornarem à sua verdadeira natureza e se tornarem sintonizadas com o ambiente natural.

Contudo, se a sociedade continua a desconsiderar a sua verdadeira natureza, a sobrevivência humana estará em risco. O caminho de retorno à natureza original irá tornar-se cada vez mais estreito.

Epoch Times publica em 35 países em 19 idiomas.

Siga-nos no Facebook: https://www.facebook.com/EpochTimesPT

Siga-nos no Twitter: @EpochTimesPT

 
Matérias Relacionadas