Publicado em - Atualizado em 15/12/2017 às 13:36

Cientistas investigarão misterioso objeto espacial em busca de tecnologia alienígena (Vídeo)

Peculiar forma do suposto asteroide desconcertou cientistas

Ilustração mostra o primeiro asteroide interestelar Oumuamua. Este objeto único foi descoberto em 19 de outubro de 2017 pelo telescópio Pan-STARRS 1 no Havaí (M. Kornmesser/Observatório Europeu do Sul)

Ilustração mostra o primeiro asteroide interestelar Oumuamua. Este objeto único foi descoberto em 19 de outubro de 2017 pelo telescópio Pan-STARRS 1 no Havaí (M. Kornmesser/Observatório Europeu do Sul)

O misterioso objeto interestelar revelado por cientistas em outubro será investigado em busca de sinais de tecnologia alienígena.

O objeto em forma de charuto, medindo 400 metros de comprimento, foi o primeiro asteroide observado fora do Sistema Solar em 19 de outubro.

A peculiar forma do suposto asteroide desconcertou os cientistas, que levantaram a hipótese de que poderia ser um fragmento de planeta, destruído há centenas de milhões de anos atrás.

Agora, os mesmos cientistas acreditam que vale a pena considerar outra possibilidade, a de que poderia ser um objeto pertencente a uma civilização alienígena.

Um projeto lançado por Stephen Hawking para explorar as profundezas do cosmos em busca de sinais de vida alienígena colocará em funcionamento detectores no asteroide interestelar à procura de ondas de rádio que porventura possam ter sido deixadas por alguma tecnologia, bem como rastrear a radiação de fundo e ondas no cosmos.

O inovador projeto chamado Breakthrough Listen utiliza radiotelescópios para procurar sinais de vida extraterrestre. Ele inspecionará um milhão de estrelas próximas, todo o plano galáctico e 100 galáxias próximas, em uma ampla gama de bandas radioelétricas e ópticas.

Com este visitante interestelar viajando “a tão pouca distância” em termos astronômicos, a tentação foi grande demais para arriscar perder a oportunidade.

Diagrama mostra órbita do asteroide interestelar Oumuamua à medida que atravessa o Sistema Solar. Ao contrário de todos os outros asteroides e cometas já observados, este corpo não está preso ao Sol pela gravidade (K.Meech/ESO)

Diagrama mostra órbita do asteroide interestelar Oumuamua à medida que atravessa o Sistema Solar. Ao contrário de todos os outros asteroides e cometas já observados, este corpo não está preso ao Sol pela gravidade (K.Meech/ESO)

“A essa distância, o radiotelescópio Green Bank levaria menos de um minuto para detectar um transmissor omnidirecional com poder de um telefone celular”, afirmou a Breakthrough Initiatives em uma declaração.

“Provavelmente o objeto teve uma origem natural, mas por ser tão peculiar, gostaríamos de verificar se ele tem algum sinal de origem artificial, como emissões de rádio”, Avi Loeb, professor de astronomia na Universidade de Harvard e assessor do projeto Breakthrough Listen declarou ao jornal The Guardian.

“Mesmo que encontremos um artefato deixado lá mas não houver sinal de vida nele, essa seria a maior emoção que eu posso imaginar ter na minha vida. Na verdade, é uma das questões fundamentais da ciência, talvez a mais fundamental: nós estamos sozinhos?”, perguntou Loeb.

Mesmo que não seja descoberta nenhuma tecnologia alienígena, o escaneamento de sinais de rádio poderia fornecer informações importantes sobre a possibilidade da existência de água ou gelo, e também sobre a composição química do envoltório gasoso do objeto.

Os escaneamentos de sinais de rádio são feitos pelo radiotelescópio do Observatório de Green Bank, em West Virginia.

O objeto em forma de charuto, com 400 metros de comprimento, é diferente de qualquer coisa que os astrônomos tenham visto antes, e acredita-se que tenha viajado pelo espaço interestelar durante centenas de milhões de anos.

Radiotelescópio do Observatório de Green Bank, em West Virgínia (NRAO/NSF)

Radiotelescópio do Observatório de Green Bank, em West Virgínia (NRAO/NSF)

O misterioso objeto avermelhado, que está acelerando através do Sistema Solar atingindo 316.000km/h, foi chamado de Oumuamua.

Oumuamua foi observado pela primeira vez por um telescópio no Havaí enquanto viajava próximo à órbita terrestre em 19 de outubro. Ele não se comporta como a maioria dos outros objetos no espaço, o que provocou especulações e, mais tarde, a confirmação de que é o primeiro objeto observado vindo de fora do Sistema Solar.

Leia também:
Misteriosa tábua de pedra babilônica de 3.700 anos é traduzida
Arqueólogos recuperam antiga ferramenta de navegação de naufrágio português
Surgimento de estranha ilha no Pacífico pode ajudar a entender Marte (Vídeo)

Todo conteúdo deste site está publicado sob a Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-SemDerivados 3.0 Não Adaptada. Para reproduzir a matéria, é necessário apenas dar crédito ao Epoch Times em Português e para o repórter da matéria.
Leia a diferença. Epoch Times Todos os direitos reservados © 2000-2016