Cientistas associaram atmosfera poluída na China ao Inverno Nuclear

Uma nova pesquisa mostra que o ar extremamente poluído na China pode afetar seriamente a agricultura e a cadeia alimentar, porque bloqueia a luz que as plantas precisam para realizarem a fotossíntese.

He Dongxian da Universidade de Agricultura da China descobriu que sementes de pimentões e tomates cultivadas em Pequim levavam mais de dois meses para germinar devido aos poluentes na atmosfera que reduzem os níveis de luz em cerca de 50%. Em comparação, as sementes cultivadas em laboratório sob luz artificial levam cerca de 20 dias para germinar.

Se a poluição continuar, He Dongxian disse ao jornal The Guardian que suas descobertas sugerem que a agricultura chinesa sofrerá condições “semelhante a um inverno nuclear“. Descrevendo as plantas que vivem sob o efeito do nevoeiro chinês, ele comentou: “Elas terão sorte se sobreviverem. Agora, quase todos os agricultores estão em pânico com a poluição”, segundo o Diário da Manhã do Sul da China.

“Um grande número de representantes de empresas agrícolas subitamente apareceu em encontros acadêmicos sobre fotossíntese nos últimos meses, procurando desesperadamente por soluções”, acrescentou ele. “Nossos colegas estrangeiros ficaram chocados com o fenômeno, porque em seus países nada como isso ocorreu antes.”

Na semana passada, quase um quarto da China estava envolto num espesso nevoeiro, incluindo Pequim, que está sob um alerta laranja inédito, sendo vermelho o próximo estágio e o mais perigoso para a saúde.

O Yanzhao Evening News relatou que um homem na província de Hebei está processando as autoridades locais por não lidarem com a poluição e também busca compensação. Seu advogado se recusou a comentar, porque este é o primeiro caso de um cidadão processando o regime sobre a poluição do ar, o que torna a questão bastante sensível.

 
Matérias Relacionadas