Cidades sustentáveis são um imperativo, não uma opção, diz coordenador da ONU no Brasil

Cidades sustentáveis são um imperativo, não uma opção, diz coordenador da ONU no Brasil (PNUMA)
Cidades sustentáveis são um imperativo, não uma opção, diz coordenador da ONU no Brasil (PNUMA)

A elaboração e a implementação de projetos de cidades sustentáveis e mobilidade urbana têm se tornado tão importantes para o debate do desenvolvimento no mundo que não é mais possível tratar o tema apenas como uma opção a ser considerada, afirmou nesta quinta-feira (26) Jorge Chediek, coordenador residente do Sistema ONU no Brasil e representante residente do Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD) no Brasil.

Em seminário no Rio de Janeiro, Chediek afirmou que a situação do debate mudou após a realização da Conferência das Nações Unidas sobre Desenvolvimento Sustentável (Rio+20). Para ele, falar em cidades sustentáveis “não é uma opção, é um imperativo”.

Chediek alertou para a proporção cada vez maior da população urbana no mundo. Segundo o Banco Mundial, em 2030, mais de dois terços da população mundial vão viver em cidades, número que está em cerca de 50% atualmente.

Elkin Velásquez, diretor do Escritório Regional para a América Latina e Caribe da ONU-Habitat, afirma que é preciso mudar o modelo de desenvolvimento urbano atualmente em prática no mundo, a fim de acomodar melhor as necessidades atuais desses centros, inclusive aprendendo com práticas mal-sucedidas no passado. Para a ONU-Habitat, as cidades precisam ser mais conectadas, mais compactas, mais interligadas e mais inclusivas.

O evento está sendo realizado nesta quinta e sexta-feiras pelo Instituto OndAzul e conta com parceria institucional do Centro Mundial para o Desenvolvimento Sustentável (Centro RIO+) e patrocínio da Prefeitura do Rio de Janeiro, da Carvalho Hosken S/A e da Fetranspor. Apoiam o projeto o MetrôRio, a Supervia, a NBS e a Firjan.

Esta matéria foi originalmente publicada pela ONU Brasil

 
Matérias Relacionadas