Chinês é julgado por pagar compras com notas que tinham mensagens do Falun Gong

O praticante do Falun Gong sr. Hao Erqin, 75, de Urumqi, foi julgado no Tribunal do distrito de Saybagh em 3 de dezembro de 2014, por utilizar notas de yuanes em papel marcados com mensagens sobre a perseguição ao Falun Gong. Estas notas marcadas são usadas pelos praticantes como um meio de difusão de informações sobre a perseguição de forma encoberta.

O sr. Hao foi acusado de usar 327 yuanes em notas de papel marcadas em vários lugares, entre março e julho de 2014.

O sr. Hao pediu para que dois assessores fossem membros do juri. Seu pedido foi rejeitado depois de um recesso de cinco minutos. O tribunal só designou um assessor para o julgamento.

O juiz Su Yonghuan ordenou ao advogado de defesa para responder apenas sim ou não. O advogado pediu que o juiz se desculpasse por sua atitude em relação a ele.

O julgamento continuou após um recesso de 20 minutos. O juiz rescindiu suas palavras e o advogado foi capaz de se declarar inocente em nome do sr. Hao.

O sr. Hao é um funcionário aposentado do Escritório Meteorológico de Xinjiang. Ele foi preso no dia 4 de julho de 2014, por agentes do Departamento de Polícia de Saybagh District em Urumqi. Ele foi libertado sob fiança por causa de forte pressão. A Procuradoria do distrito de Saybagh apresentou acusações contra ele em 31 de agosto.

O sr. Hao foi condenado a dois anos de trabalhos forçados em julho de 2001 por ir a Pequim para apelar pelo direito de praticar o Falun Gong.

 
Matérias Relacionadas