China Unicom pode monitorar qualquer telefone, diz pesquisador

China Unicom, uma das maiores empresas estatais de telecomunicações da China, dispõe de sistemas para ouvir chamadas telefônicas e rastrear a localização de seus usuários. Os resultados foram publicados em 8 de janeiro por um usuário apelidado “Espectador Jia” no WooYun.org, um website onde pesquisadores de segurança relatam vulnerabilidades e vendedores ou fabricantes dão feedback ou esclarecimentos.

China Unicom é a terceira maior operadora de celular do mundo. O denunciado sistema de espionagem da empresa lhe permitiria acessar telefonemas e mensagens de texto SMS de qualquer usuário, bem como rastrear sua localização e acessar suas contas de mídia social registradas com o dispositivo.

A fim de espionar seus usuários, a China Unicom só precisa do número de celular do usuário-alvo, segundo o post de ‘Espectador Jia’. O sistema também pode acessar as contas de e-mail registradas com o telefone, bem como informações técnicas no próprio telefone, incluindo seu número IMEI e modelo.

A notícia surge apenas um mês após a Secretaria de Segurança Pública do regime chinês na Zona de Desenvolvimento Econômico e Tecnológico de Wenzhou, na província de Zhejiang, Sudeste da China, ter relatado a compra de programas maliciosos cavalo de Troia (Trojan horse malwares) para monitorar os telefones celulares de pessoas na China.

Em dezembro de 2014, a Secretaria de Segurança publicou em seu website que gastou 149 mil yuanes (cerca de US$ 24 mil) no desenvolvimento de um cavalo de Troia visando celulares Android e iPhones desbloqueados. E disse que foi gasto um adicional de 100 mil yuanes (c. US$ 16 mil) num sistema para infectar smartphones Android e iPhone com o cavalo de Troia.

Agora, a China Unicom também se junta a nomes como Huawei e ZTE, outras grandes empresas de telecomunicações chinesas que representariam grandes riscos de segurança para os usuários. O Comitê de Inteligência do Senado dos Estados Unidos divulgou um relatório em outubro de 2012 listando algumas das preocupações de segurança envolvendo a Huawei e a ZTE. A Huawei também tem ligações com os militares chineses.

Várias vulnerabilidades (backdoors) foram descobertas por pesquisadores em equipamentos de telecomunicações da Huawei, que permitiriam o acesso do regime chinês a qualquer informação transmitida ou recebida. Cerca de um terço dos celulares da Huawei apresentam riscos de serem monitorados pelo regime chinês.

Em entrevista a Radio Free Asia, o escritor independente chinês Ye Du afirmou que os usuários na China estão cientes de que o regime chinês monitora os populares websites de redes sociais, particularmente o Weibo e o Weixin. Esse fato é uma das bandeiras vermelhas no sistema da China Unicom que pode detectar contas de redes sociais do usuário.

Ye Du acrescentou: “O ato flagrante da Secretaria de Segurança de comprar software cavalo de Troia de uma empresa estatal de tecnologia para monitorar usuários de celulares mostra que a política de manutenção da estabilidade atingiu um nível alarmante na China.”

 
Matérias Relacionadas