China tenta interferir nas relações entre Brasil e Taiwan

Evento ocorre em um momento de crescente tensão nas relações sino-brasileiras

Por Marina Dalila e Marcos Schotgues

O regime chinês continua reivindicando Taiwan como parte de seu território, embora a ilha seja completamente autônoma com próprio governo, moeda e exército estabelecidos de forma democrática. No entando, Pequim continua usando sua influência para pressionar organizações e governos e desta vez alvejou o Brasil, enviando uma carta à Câmara dos Deputados para que eles não se comunicassem ou parabenizassem a presidente de Taiwan,  Tsai Ing-wen, que tomou posse para seu segundo mandato em 20 de maio.

A presidente de Taiwan, Tsai Ing-wen, foi reeleita em Janeiro de 2020 para um segundo mandato presidencial de quatro anos pelo Partido Democrático Progressista e tomou posse na quarta-feira.

Presidente taiwanesa Tsai Ing-wen cumprimenta apoiadores em sua cerimônia de posse presidencial em Taipei-Taiwan, em 20 de maio de 2016 (Ashley Pon/Getty Images)
A presidente taiwanesa Tsai Ing-wen cumprimenta apoiadores em sua cerimônia de posse presidencial em Taipei-Taiwan, em 20 de maio de 2016 (Ashley Pon/Getty Images)

No dia 26 de maio a hashtag #VivaTaiwan se tornou o top trending mundial do twitter, o assunto mais comentado da plataforma.

O deputado federal Paulo Eduardo Martins (PSC-PR) compartilhou uma carta da Embaixada da República Popular da China, publicada em 13 de maio, expondo a recomendação de que houvesse silêncio quanto à posse da presidente reeleita de Taiwan, Tsai Ing-Wen. A postagem deflagrou uma enchurrada de manifestações do público brasileiro.

Ao fim da terça-feira, a presidente Tsai respondeu às manifestações com uma hashtag #VivaBrazil dizendo “Obrigada a todos os nossos amigos no Brasil por sua carinhosa parabenização, e eu espero que todos estejam sãos e salvos”.

 
Matérias Relacionadas