China não autoriza entrada de missão para investigar coronavírus e Tedros fica ‘decepcionado’

Por Bruna de Pieri, Terça Livre

O chefe da Organização Mundial da Saúde (OMS) está “muito decepcionado” com o fato de a China ainda não ter autorizado a entrada de uma equipe de especialistas internacionais para examinar as origens do coronavírus.

“Hoje, soubemos que as autoridades chinesas ainda não finalizaram as permissões necessárias para a chegada da equipe [da OMS] à China”, disse  Tedros Adhanom Ghebreyesus em entrevista coletiva em Genebra nesta terça-feira (05).

“Estive em contato com altos funcionários chineses e mais uma vez deixei claro que a missão é uma prioridade para a OMS”, disse ele a repórteres.

Ao seu lado, o responsável das situações de emergência sanitária da OMS, Michael Ryan, explicou que se trata de uma questão de vistos.

“Esperamos que seja simplesmente um problema logístico e burocrático que poderemos resolver rapidamente”, disse. Um dos especialistas teve que voltar e outro está aguardando em um terceiro país, afirmou.

Após mais de um ano da detecção dos primeiros casos de covid-19 na região chinesa de Wuhan (centro), dez cientistas foram escolhidos pela OMS para viajar à China, analisar as origens do vírus e saber como foi transmitido aos humanos.

No entanto, essa missão se tornou muito delicada para o governo chinês, que não quer assumir nenhuma responsabilidade sobre a pandemia, que já causou mais de 1,8 milhão de mortes no mundo.

Com informações, AFP.

Apoie nosso jornalismo independente doando um “café” para a equipe.

Veja também:

 
Matérias Relacionadas