China está usando ‘Wokeism’ para desgastar democracia americana, afirma autor

Empresas americanas como NBA e Disney criticam questões sociais nos Estados Unidos, mas permanecem caladas sobre abusos dos direitos humanos na China

Por Frank Fang, Jan Jekielek

O regime comunista na China está usando o “wokeism” como uma ferramenta geopolítica para minar a democracia dos EUA, disse Vivek Ramaswamy, autor de “Woke, Inc .: Inside Corporate America’s Social Justice Scam”.

“Eles [China] estão usando isso para nos dividir, para usar isso como uma dobra em nossa armadura para nos dividir internamente, fazendo com que as corporações critiquem a injustiça aqui, sem dar um pio sobre a injustiça ali e desviar a responsabilidade por seus abusos nos direitos humanos”, disse Ramaswamy em uma entrevista recente ao“ American Thought Leaders”, da EpochTV.

Ele disse que empresas americanas como a NBA e a Disney – que criticam as questões sociais nos Estados Unidos, mas permanecem caladas sobre os abusos dos direitos humanos na China, como as de Xinjiang – estão de fato dando poder à China comunista.

Em 2020, a Disney atraiu muitas críticas quando foi revelado que a empresa havia filmado um remake de “Mulan” na região de Xinjiang, no extremo oeste da China, onde Pequim prendeu mais de 1 milhão de uigures e outras minorias muçulmanas em campos de internamento. Vários governos, incluindo os Estados Unidos, caracterizaram a opressão da China em Xinjiang como “genocídio“.

A NBA estava em maus lençóis em 2019 depois que o então gerente geral do Houston Rockets, Daryl Morey, expressou seu apoio aos manifestantes pró-democracia de Hong Kong em uma postagem no Twitter. O regime chinês, que classificou os manifestantes como “desordeiros”, suspendeu a exibição dos jogos da NBA em retaliação, enquanto as empresas chinesas cortaram relações com a liga.

Em uma declaração de desculpas, a NBA disse que o tweet de Morey foi “lamentável” e “ofendeu profundamente muitos de nossos amigos e fãs na China”. No entanto, a liga não cedeu à pressão chinesa para disciplinar ou demitir Morey.

“O que isso tem como efeito é criar uma falsa equivalência moral entre os Estados Unidos e a China”, explicou.

Ele acrescentou: “E isso realmente corrói nosso maior ativo geopolítico de todos, que não é nosso arsenal nuclear, é nossa posição moral no cenário global”.

Enquanto isso, o regime chinês tem “estendido o tapete vermelho” para as empresas que criticam a injustiça nos Estados Unidos, disse Ramaswamy. Por exemplo, ele apontou para a plataforma de hospedagem online dos EUA, Airbnb, que expressou apoio ao movimento Black Lives Matter.

Ramaswamy argumentou que o Airbnb pagou “um suborno sujo” a Pequim quando compartilhou seus dados de hóspedes com as autoridades chinesas em troca de poder fazer negócios na China.

Em março, mais de 190 grupos de campanha global escreveram uma carta aberta ao CEO do Airbnb, Brian Chesky, pedindo à empresa que retirasse seu apoio aos Jogos Olímpicos de Inverno de 2022 na capital da China, Pequim, por causa dos horríveis registros de direitos humanos do regime comunista.

“O Airbnb não deveria encorajar uma indústria turística mais ampla a ser apoiada e permitida a florescer às custas dos direitos uigures e tibetanos”, escreveram os grupos.

O Airbnb, que firmou parceria com o Comitê Olímpico Internacional em 2019, é um dos 15 principais patrocinadores da organização.

Ramaswamy disse: “A maneira como eles [a China] transformaram nossas próprias companhias em cavalos de Tróia para nos minar por dentro é o outro lado da moderna Batalha de Tróia. Eles enviaram o cavalo de Tróia”.

O despertar moderno, que Ramaswamy caracterizou como uma “cultura de autocrítica”, tem semelhanças com a velha escola da política comunista chinesa, assim como com os Guardas Vermelhos do ex-líder chinês Mao Tsé-Tung, explicou ele.

“Este é um momento de viver efetivamente em uma revolução moderna da Guarda Vermelha na América, exceto que, em vez da Guarda Vermelha chinesa empurrando a filosofia do marxismo, a nova Guarda Vermelha está empurrando-a através de todas as nossas principais instituições, do setor privado ao público, eles estão promovendo essa nova filosofia de wokeism ”, disse ele.

Ele acrescentou: “Alguém lá dentro precisava tocar a campainha de alarme”.

Mao instigou os Guardas Vermelhos, que eram estudantes do ensino médio e universitários chineses, a perseguir aqueles identificados como “inimigos de classe” do regime comunista, em meio à Revolução Cultural que durou 10 anos até a morte de Mao em 1976.

Ramaswamy advertiu que a “grandeza americana” chegaria ao fim se os americanos não fossem capazes de reverter a tendência.

Ele explicou: “[Precisamos] aproveitar e redescobrir nossa própria cultura de excelência, nossa própria cultura da busca sem remorso pela excelência por meio de nosso sistema de livre iniciativa e por meio de nossa democracia de maneiras que exigem ver além das demandas superficiais do movimento  ‘Woke’.

Nota do editor da edição em Português: Woke quer dizer desperto para os problemas sociais (de esquerda). Os movimentos sociais promovem a palavra como um tema de vanguarda, mas na verdade se trata do velho socialismo.

 
Matérias Relacionadas