China: deslizamento de terra soterra nove pessoas e país sofre as piores inundações em anos

Por Eva Fu

Na manhã de 8 de julho, um deslizamento de terra na cidade de Huanggang enterrou nove pessoas, incluindo um menino de três anos na província de Hubei, na China, em meio a algumas das mais fortes inundações do país em décadas.

As equipes de resgate recuperaram cinco corpos, enquanto uma sobrevivente ferida, uma mulher de 81 anos, foi hospitalizada, segundo a imprensa estatal chinesa. As autoridades locais evacuaram mais de 40 moradores da área, enquanto continuavam a procurar aqueles que se acreditava permanecerem soterrados nos escombros.

Um aldeão local que estava entre os evacuados expressou preocupação de que os desaparecidos não possam sobreviver.

“Quase não há espaço para respirar debaixo da lama”, disse ele ao Epoch Times. Três dos que foram enterrados são crianças, segundo o morador. Não está claro se alguma das crianças estava entre os cinco mortos, pois as autoridades não divulgaram detalhes.

A aldeã disse que a água da chuva acumulada em sua área já havia subido até a cintura quando ocorreu o deslizamento de terra, deixando-a incapaz de ajudar. A eletricidade e a água da vila foram temporariamente cortadas devido a inundações.

“Só espero que a chuva esteja menos forte hoje”, disse ela.

Chuvas implacáveis ​​durante a semana provocaram alertas de inundações em todo o país, levando a China a aumentar seu nível de resposta de emergência nacional em 7 de julho.

As inundações destruíram 170.000 casas e inundaram mais de 3,8 milhões de acres de culturas agrícolas em todo o país. Em 3 de julho, o governo confirmou a morte ou o desaparecimento de pelo menos 121 pessoas, embora os especialistas acreditem que os números reais possam ser maiores, dada a tendência do regime de manter um controle rígido sobre notícias negativas.

Huanggang, uma cidade montanhosa na parte leste da província de Hubei, também estava entre as regiões mais afetadas pela pandemia do PCC que se originou na capital vizinha de Wuhan. Localizada ao longo do rio Yangtze, Huanggang também sofreu algumas das chuvas mais fortes da cidade nos últimos dois dias.

Os moradores disseram que vários municípios próximos foram inundados por águas de um metro de profundidade. O Sr. Yang do Condado de Dahe acordou em 8 de julho às 15h e descobriu que a água entrava em sua casa, submergindo dois carros. Como seus vizinhos, ela pegou o máximo que pôde e correu escada acima.

“Ainda bem que descobri cedo”, disse ele em entrevista. “É um mundo de água em todo lugar, então para onde você pode ir?”

Um farmacêutico que morava na mesma rua também escapou ileso, apesar de a água derrubar as mesas de seu prédio e encharcar todos os seus produtos.

Em uma escola secundária próxima, as águas da enchente subiram para mais de um metro e meio de altura em 8 de julho, prendendo cerca de 500 estudantes do ensino médio. Os estudantes, que moram no campus, acabaram pegando canoas para chegar ao local designado para os exames de admissão na faculdade.

Um morador usa uma máscara facial enquanto caminha pelo Parque Jiangtan, que foi inundado devido a fortes chuvas ao longo do rio Yangtze em Wuhan, China, em 8 de julho de 2020 (Getty Images)
Um morador usa uma máscara facial enquanto caminha pelo Parque Jiangtan, que foi inundado devido a fortes chuvas ao longo do rio Yangtze em Wuhan, China, em 8 de julho de 2020 (Getty Images)

As chuvas permanentes sobrecarregaram os sistemas de drenagem local e deformaram uma barragem de tamanho médio no condado de Xishui, em Huanggang, dois dias antes, levando à evacuação de emergência de 28.000 residentes locais.

As chuvas acumuladas nas regiões de Hubei, Anhui, Zhejiang e Chongqing desde 1º de junho estão nos seus níveis mais altos desde 1961. Em alguns lugares, as chuvas eram duas vezes mais altas do que os níveis normais, disse a Administração Meteorológica da China. O escritório, em um alerta de inundação anterior, também alertou para possíveis deslizamentos de terra nas províncias do sul de Zhejiang, Anhui e Jiangxi.

As equipes de resgate evacuam os moradores afetados pelas inundações após fortes chuvas em Jiujiang, província de Jiangxi, no centro da China, em 8 de julho de 2020 (STR / AFP via Getty Images)
As equipes de resgate evacuam os moradores afetados pelas inundações após fortes chuvas em Jiujiang, província de Jiangxi, no centro da China, em 8 de julho de 2020 (STR / AFP via Getty Images)

Um reservatório em Hangzhou, capital de Zhejiang, começou a descarregar água em 7 de julho. Os nove portões abriram em 8 de julho pela primeira vez desde sua construção, há 61 anos, depois que “os níveis de água continuaram subindo rapidamente”, segundo a mídia estatal.

Apoie nosso jornalismo independente doando um “café” para a equipe.

Veja também:

EUA exigem transparência do Partido Comunistas Chinês diante da COVID-19

 

 
Matérias Relacionadas