China comunista é ‘crescente ameaça’ aos Estados Unidos, diz general do exército

Por Dorothy Li

O regime chinês é uma  “ crescente ameaça” aos Estados Unidos e a simplificação excessiva de suas estratégias e objetivos pode colocar o país em apuros, declarou o general nomeado para liderar as forças americanas na Coréia em 18 de maio.

O General do Exército Paul LaCamera disse ao Comitê de Serviços Armados do Senado na terça-feira que está ciente dos desafios envolvidos com a competição e moldando o ambiente para evitar que uma crise se transforme em conflito.

“A China é nossa crescente ameaça”, disse ele.

LaCamera disse ter reconhecido a necessidade de manter a prontidão não apenas para conflitos, “mas também para competir e competir diariamente”, em apoio à sua nomeação para Comando das Nações Unidas, Comando de Forças Combinadas e Forças Coreanas dos EUA.

O líder militar sênior deixou claro sobre sua determinação de vencer em combate anteriormente em um painel.

“Nosso foco diário é a competição. Temos que estar prontos para responder na crise e preparados para vencer no conflito ”, disse ele em um evento online realizado pelo Centro de Estudos Estratégicos e Internacionais em 30 de março.

“A China usa todos os elementos do poder nacional, diplomático, de informação, militar, econômico,” e Pequim usou a abordagem para pressionar a aliança dos EUA, disse ele aos senadores.

“A Coreia do Norte é mais uma flecha na aljava ou outra alavanca em suas alavancas diplomáticas, de informação, militares e econômicas que eles puxariam”, acrescentou.

Para evitar possíveis expansões da China, LaCamera também mencionou que o melhor conselho militar que poderia dar à aliança dos EUA é “certificar-se de que eles entendam o risco que [a China] representa para a segurança de seu próprio país”.

“Os chineses tentam influir e / ou reduzir essa influência que os Estados Unidos possui”, disse.

A China comunista é rotulada como o principal desafiante no relatório anual de avaliação de ameaças compilado pelo Diretor do Escritório Nacional de Inteligência.

“A China é cada vez mais um concorrente próximo, desafiando os Estados Unidos em múltiplas arenas – especialmente econômica, militar e tecnológica – e está pressionando para mudar as normas globais”, disse o relatório.

Os senadores presentes na audiência destacaram a vasta experiência militar de LaCamera, incluindo seu papel atual como Comandante do Exército do Pacífico. Se confirmado, ele sucederá o general Robert Abrams para liderar mais de 28.000 soldados americanos na Coréia do Sul.

 
Matérias Relacionadas