Chefe-executivo de Hong Kong pode ter seus dias contados

Encontros da policia de Hong Kong com as tríades parecem ser aleta para Leung Chun-ying
O chefe-executivo de Hong Kong, Leung Chun-ying. As especulações atuais em Hong Kong dizem que ele desagradou Pequim e que não durará muito no cargo (Anthony Wallace/AFP/Getty Images)
O chefe-executivo de Hong Kong, Leung Chun-ying. As especulações atuais em Hong Kong dizem que ele desagradou Pequim e que não durará muito no cargo (Anthony Wallace/AFP/Getty Images)

A conversa em Hong Kong não é sobre se o chefe-executivo Leung Chun-ying será demitido, mas quando. Uma reunião recente da polícia de Hong Kong com um chefe das tríades tem fortalecido essas especulações.

De acordo com o Diário da Manhã do Sul da China, em 3 de setembro, a polícia realizou uma reunião privada com o chefe da tríade 14k em Yuen Long, os Novos Territórios.

Uma fonte disse ao Diário: “Ele [o chefe da máfia 14K em Yuen Long] foi avisado claramente, a polícia não tolerará ninguém que cause problemas. Caso contrário, medidas serão tomadas.”

Fontes no departamento de polícia dizem que Leung participará de um fórum comunitário em Hung Shui Kiu, em Yuen Long. A reunião da polícia com o chefe da tríade 14k é aparentemente uma tentativa de evitar que Leung Chun-ying use gangsteres mais uma vez num de seus eventos. Num fórum comunitário realizado por Leung em Tin Shui Wai em 11 de agosto, membros das tríades espancaram manifestantes anti-Leung.

O chefe da máfia visitado pela polícia em 3 de setembro é um nativo de Yuen Long. Segundo fontes, essa pessoa participou no jantar realizado pela equipe eleitoral de Leung em fevereiro do ano passado.

Sua presença no jantar levou a rumores de que Leung estava mobilizando a máfia para ajudá-lo em sua campanha eleitoral. Este mesmo indivíduo foi preso em agosto passado, durante uma operação de limpeza da polícia das tríades Wo Shing Wo e 14k.

Um ex-membro da Unidade Central de Política do governo de Hong Kong, Lin Yue-tsang, escreveu um artigo no Hong Kong Economic Journal (HKEJ) em fevereiro deste ano, apontando a relação entre Leung e a máfia. Leung ficou aborrecido com o artigo e enviou uma carta por meio de seu advogado para avisar Lin e o HKEJ.

Fontes dizem que o líder chinês Xi Jinping estaria cansado de Leung e muito insatisfeito com sua introdução das tríades na política de Hong Kong. Segundo fontes, os policiais foram orientados a alertarem a máfia a não apoiar Leung.

Em 16 de julho, um sinal claro do descontentamento do Partido Central com Leung Chun-ying foi enviado a Hong Kong, quando o diretor do Departamento de Ligação da China, Zhang Xiaoming, almoçou com o Conselho Legislativo sem notificar o chefe-executivo Leung.

O Epoch Times relatou anteriormente que a facção em torno de ex-líder chinês Jiang Zemin apoia Leung, cuja carreira no Partido Comunista Chinês (PCC) foi promovida por Zeng Qinghong, um dos asseclas principais de Jiang Zemin.

Com a investigação da PetroChina degradando ainda mais o poder já em declínio da facção de Jiang Zemin, o apoio de Jiang Zemin e Zeng Qinghong contará muito menos.

Chan Wai-yip, um membro do Conselho Legislativo de Hong Kong, considera que Leung Chun-ying não sobreviverá além deste ano: “Uma mudança ou substituição deverá ocorrer após a 3ª Sessão Plenária”. A 3ª Sessão Plenária do 18º Congresso do PCC se reunirá em novembro de 2013.

“As pessoas não acreditam em nada de uma pessoa que é tão cheia de mentiras e trapaças como Leung Chun-ying”, concluiu Chan Wai-yip.

 
Matérias Relacionadas