‘Pare imediatamente’ com a repressão ao Falun Gong, dizem EUA a Pequim na véspera do aniversário da perseguição

Por Eva Fu

Em 19 de julho, os Estados Unidos conclamaram o regime comunista chinês a “cessar imediatamente” a perseguição ao Falun Gong e libertar todos os adeptos que foram presos por suas crenças.

O porta-voz do Departamento de Estado, Ned Price, fez o comentário em uma coletiva de imprensa, um dia antes do 22º aniversário do início da campanha de Pequim de erradicação do grupo religioso.

“Amanhã, reconhecemos 22 anos desde que a República Popular da China lançou a campanha de repressão contra o movimento Falun Gong e seus milhões de praticantes, defensores dos direitos humanos que trabalham para proteger seus direitos”, disse Price.

Ele acrescentou que “milhares de praticantes do Falun Gong enfrentam detenção, assédio e denúncias de tortura e abuso a cada ano” por simplesmente se recusarem a renunciar à prática pacífica de suas crenças.

Uma prática de meditação introduzida pela primeira vez na China na década de 1990, o Falun Gong cresceu em popularidade no país com seus exercícios de movimento lento e ensinamentos morais centrados nos princípios da verdade, compaixão e tolerância. A prática tinha cerca de 70 milhões a 100 milhões de adeptos até o final daquela década, de acordo com estimativas oficiais. Considerando essa popularidade uma ameaça, o regime em 20 de julho de 1999 iniciou uma campanha nacional para perseguir seus adeptos.

Desde então, um número incontável de praticantes tem sofrido tortura mental e física, pressão financeira, trabalho forçado, prisão e extração forçada de  órgãos – todos os quais foram empregados em uma tentativa de erradicar sua fé.

Sobreviventes do abuso contaram histórias de serem submetidos a  injeções de drogas tóxicastrabalhos forçados extenuantes,  choques elétricos em partes privadas e ameaças a  mulheres grávidas de abortar à força seus bebês.

A supressão de 22 anos levou a um número incontável de mortes. O Minghui.org, um site com sede nos Estados Unidos que serve como câmara de compensação para a perseguição, verificou detalhes de milhares de mortes, embora observe que o número é provavelmente apenas a ponta do iceberg por causa da extrema dificuldade de coletar informações da China.

Os praticantes do Falun Gong participam de um desfile que marca o 22º ano da perseguição ao Falun Gong na China, em Brooklyn, NY, em 18 de julho de 2021 (Chung I Ho / The Epoch Times)

O abuso contínuo está atraindo preocupações crescentes no cenário internacional. Em maio, o Departamento de Estado sancionou um oficial do Partido Comunista Chinês que teve um papel na perseguição de adeptos em Chengdu, capital da província de Sichuan da China. O órgāo ambém puniu de forma semelhante um oficial da polícia local na província chinesa de Fujian no ano passado por seu papel na repressão aos praticantes.

O Departamento de Estado sob a administração Trump fez uma declaração semelhante pedindo o fim das atrocidades em julho de 2020.

No ano passado, o estado do Texas e mais de uma dúzia de condados na Virgínia aprovaram resoluções alertando os residentes ao viajarem para a China para transplantes de órgãos. As medidas foram tomadas na esperança de garantir que os americanos não se tornassem cúmplices involuntários da extração forçada de órgãos sancionada pelo regime, que visa principalmente os praticantes do Falun Gong e também outros prisioneiros de consciência. Legisladores bipartidários no Congresso, bem como autoridades do Reino Unido  e do Canadá , também procuram responsabilizar o regime por essa prática terrível.

Em uma manifestação de 16 de julho em Washington, a especialista em liberdade religiosa Nina Shea pediu aos Estados Unidos que reconheçam a perseguição ao Falun Gong pelo regime como uma forma de genocídio.

“Genocídio é a destruição de parte de uma comunidade religiosa, por exemplo, com a intenção de erradicá-la”, disse Shea, diretora do Centro para Liberdade Religiosa do Instituto Hudson.

“Não acho que haja dúvidas de que o que aconteceu nas últimas décadas com o Falun Gong atende a esses critérios.”

Siga Eva no Twitter: @EvaSailEast
 
Matérias Relacionadas