Cerca de 6 mil estudantes se manifestam em Amsterdã contra mudança climática

O governo holandês prometeu criar um imposto (ainda por determinar) de emissões de CO2 para as empresas

Por Agência EFE

Cerca de seis mil estudantes do ensino médio se manifestaram nesta quinta-feira (14) em Amsterdã para exigir uma melhor política contra a mudança climática, depois que ontem o governo holandês confirmou as dificuldades para atingir os objetivos de redução de emissões de CO2.

Os estudantes se concentraram primeiro na Praça Dam e depois marcharam rumo à Praça dos Museus, levando cartazes nos quais pediam “defesa do clima mediante políticas antes que seja tarde demais” e lembrando que “não há plano B” contra a mudança climática.

Segundo a televisão holandesa “NOS”, os institutos deram aos estudantes uma permissão para poder participar da manifestação, mas os mesmos terão que escrever uma carta com seus argumentos ou enviar uma foto aos professores como prova de que realmente estiveram no protesto.

Esta é a segunda grande marcha contra a mudança climática organizada pelos alunos de escolas holandesas em menos de um mês.

Em fevereiro, mais de 10 mil estudantes desde diferentes pontos do país participaram de um protesto na cidade da Haia para pressionar os políticos, e os organizadores da manifestação conseguiram se reunir dias depois com o primeiro-ministro, Mark Rutte, para mostrar a preocupação dos jovens e pedir medidas ativas.

O governo holandês reconheceu nesta quarta-feira que é “difícil” atingir os objetivos de redução de gases contaminantes e anunciou os planos climáticos para os próximos anos, entre os quais haverá um imposto (ainda por determinar) de emissões de CO2 para as empresas.

Na Holanda, amanhã é um dia de greve nos ensinos primário e médio, convocada pelos sindicatos de professores, que exigem um aumento de salários e uma redução da pressão dada o alto número de alunos por classe.

 
Matérias Relacionadas