CEO da Pfizer prevê ‘retorno ao normal’ na primavera, mas espera que a COVID-19 circule por anos

'Este é um vírus que se espalhou por todo o mundo, por isso é muito difícil se livrar dele'

Por Tom Ozimek 

CEO da Pfizer, Albert Bourla, afirmou aos meios de comunicação franceses em entrevistas recentes que, embora espere que a COVID-19 continue a circular por muitos anos, ele acha que as ondas futuras não serão assoladas por grandes restrições, ao mesmo tempo em que prevê que a vida voltará ao “normal” na primavera.

Bourla afirmou ao jornal francês Le Figaro em uma entrevista publicada no dia 16 de janeiro, que espera um “retorno à vida normal” em algum momento da primavera deste ano, com a ressalva de que a dinâmica das mutações e disseminação da COVID-19 obscurece a precisão de quaisquer previsões.

A COVID-19 é a doença causada pelo vírus do PCC (Partido Comunista Chinês), também conhecido como SARS-CoV-2.

O chefe da Pfizer creditou os desenvolvimentos nos testes, vacinas e terapêuticas para a COVID-19 por sua perspectiva otimista, afirmando à BFM TV em uma entrevista separada que espera que a atual onda impulsionada pela variante Ômicron seja a “última com tantas restrições”.

Ao mesmo tempo, Bourla previu que a COVID-19 continuaria circulando por muitos anos.

“Este é um vírus que se espalhou por todo o mundo, por isso é muito difícil se livrar dele”, declarou Bourla à BFM TV.

Bourla também disse que a Pfizer planeja investir mais de meio bilhão de dólares na França nos próximos cinco anos para aumentar a produção global de sua pílula contra a COVID-19, Paxlovid, que obteve aprovação de emergência nos Estados Unidos em dezembro.

O investimento será para a produção de insumo farmacêutico ativo (API) para a Paxlovid em uma fábrica do grupo farmacêutico francês Novasep, que anunciou no dia 17 de janeiro ter assinado uma carta de intenções com a Pfizer para fortalecer a rede global de suprimentos do comprimido da farmacêutica.

“Estamos honrados com esta renovada prova de confiança, sendo a Pfizer um cliente de longa data da Novasep e, claro, estamos orgulhosos de contribuir para a fabricação deste medicamento que demonstrou em ensaios clínicos ter um impacto positivo na hospitalização entre os de pacientes em risco pela COVID-19”, afirmou o CEO da Novasep, Dr. Michel Spagnol, em comunicado.

Ensaios clínicos mostraram que o Paxlovid é quase 90% eficaz na prevenção de hospitalizações e mortes em pacientes com alto risco de casos graves da doença.

A Novasep afirma esperar que sua instalação em Mourenx, na França, seja incorporada à crescente rede de fornecedores da Pfizer até o terceiro trimestre de 2022, elevando o fornecimento global total de Paxlovid para 120 milhões de pacotes para pacientes até o final do ano.

Outros locais na Irlanda e na Itália fazem parte da rede de fabricação da pílula da Pfizer.

Entre para nosso canal do Telegram

Assista também:

 
Matérias Relacionadas