Cédulas foram contadas após dia 03, conforme denúncia de funcionário dos correios

Por Bruna Lima, Terça Livre

Em uma coletiva de imprensa realizada ontem, 01/12, a organização de processo constitucional dos Estados Unidos da América, a Thomas More Society através do projeto “The Amistad”, revelou mais denúncias que comprovam as fraudes eleitorais que aconteceram nos Estados Unidos.

Mais cedo o Terça Livre noticiou que um ‘subcontratado’ do Serviço Postal dos Estados Unidos denunciou que milhares de cédulas preenchidas foram desviadas.

Um outro denunciante, Nathan Pease, que também era subcontratado do Serviço Postal dos Estados Unidos (USP, sigla em inglês), disse ao projeto Amistad que nos dias 4 e 5 de novembro, dois funcionários dos correios o informaram que o serviço estava “recolhendo dezenas de milhares de cédulas e retratando os carimbos com datas do dia 3 de novembro para que pudessem ser contados”, apesar de o prazo eleitoral ter sido encerrado.

“Se a declaração juramentada de Pease coincide no tempo com um despejo dramático da votação na manhã de 5 de novembro, (a manobra) favoreceu fortemente o Sr. Biden e causou controvérsia significativa na comunidade de especialistas em relação à probabilidade estatística da inserção tardia de dezenas de milhares de votos a favor de um único candidato na manhã após a eleição”, disse Phill Kline, diretor do projeto Amistad que já atuou como promotor distrital e procurador-geral do Kansas.

A equipe de campanha do presidente Trump publicou no twitter o vídeo da coletiva com as denúncias.

 

Apoie nosso jornalismo independente doando um “café” para a equipe.

Veja também:

 
Matérias Relacionadas