CDC pressiona injeção de reforço à todos os adultos ao citar variante Ômicron

Presidente Joe Biden chamou a variante Ômicron de um motivo de preocupação, mas 'não um motivo de pânico'

Por Mimi Nguyen Ly

O Centro de controle e prevenção de doenças (CDC), na segunda-feira, atualizou suas recomendações sobre as vacinações contra a COVID-19, agora afirmando que todos com 18 anos ou mais “devem receber uma injeção de reforço“.

A atualização, anunciada pela diretora do CDC, Dra. Rochelle Walensky, cita o recente surgimento da variante Ômicron do vírus do PCC (Partido Comunista Chinês) que causa a doença COVID-19.

“O CDC está atualizando sua recomendação sobre as vacinações [contra a COVID-19]: todos com 18 anos ou mais devem receber a injeção de reforço”, afirmou Walensky em um comunicado. “Temos muito que aprender sobre [a variante Ômicron], mas sabemos que as vacinas contra a COVID-19 são nossa melhor ferramenta para evitar casos graves da doença [e] hospitalização”.

“O surgimento da [variante Ômicron] enfatiza ainda mais a importância da vacinação, doses de reforço [e] esforços de prevenção necessários para a proteção contra [a COVID-19]”, acrescentou ela. “Eu encorajo fortemente os 47 milhões de adultos que ainda não foram vacinados a serem vacinados o mais rápido possível”.

De acordo com o site do CDC, a partir de segunda-feira, todos com 18 anos ou mais “devem receber uma dose de reforço” pelo menos 6 meses após completar sua série principal de vacinação contra a COVID-19 pela Pfizer-BioNTech ou Moderna, ou pelo menos 2 meses após completar sua vacinação Janssen, da Johnson & Johnson.

As pessoas “podem escolher” qualquer vacina contra a COVID-19 como sua dose de reforço.

“Algumas pessoas podem preferir o tipo de vacina que receberam originalmente, e outras podem preferir receber um reforço diferente. As recomendações do CDC agora permitem esse tipo de dosagem de mistura e combinação para doses de reforço”, afirma o site.

“Você pode sentir efeitos colaterais após receber uma vacina contra a COVID-19”, afirma. “Estes são sinais normais de que seu corpo está desenvolvendo a proteção contra a COVID-19”.

As vacinas de reforço têm a mesma formulação das atuais vacinas contra a COVID-19 disponíveis nos Estados Unidos.

Aqueles que receberam a vacina Moderna contra a COVID-19 receberiam apenas metade da dose administrada na primeira aplicação das vacinas.

De acordo com o CDC, as reações que foram relatadas após as pessoas receberem suas doses de reforço “foram semelhantes às da série primária de duas doses ou dose única”. A agência declara que as pessoas podem usar o v-safe, uma ferramenta via smartphone, para informar ao CDC sobre quaisquer efeitos colaterais.

Presidente Joe Biden responde a uma pergunta enquanto se pronuncia sobre a variante da COVID-19 chamada Ômicron, na Sala Roosevelt da Casa Branca, em Washington, no dia 29 de novembro de 2021 (AP Photo / Evan Vucci)
Presidente Joe Biden responde a uma pergunta enquanto se pronuncia sobre a variante da COVID-19 chamada Ômicron, na Sala Roosevelt da Casa Branca, em Washington, no dia 29 de novembro de 2021 (AP Photo / Evan Vucci)

O presidente Joe Biden, na segunda-feira, chamou a variante Ômicron de um motivo de preocupação, mas “não é um motivo de pânico”. Ele declarou que não estava prevendo nenhum bloqueio, mas pediu aos americanos que se vacinassem totalmente, incluindo injeções de reforço, e também usassem máscaras em ambientes fechados em ambientes públicos.

Anteriormente, o CDC declarou que aqueles com 65 anos ou mais, bem como aqueles com 18 anos ou mais que têm condições médicas subjacentes, vivem em ambientes de cuidados de longo prazo, ou trabalham ou vivem em ambientes de alto risco, deveriam receber a dose de reforço. De outra maneira, todos os outros “deveriam” receber um reforço.

Os fabricantes das vacinas são imunes à responsabilidade por quaisquer reações adversas, a menos que haja “má conduta intencional” envolvida.

Os profissionais de saúde que administram as vacinas contra a COVID-19 são obrigados por lei a relatar quaisquer efeitos adversos graves ou erros de administração da vacinação ao Sistema de Notificação de Eventos Adversos de Vacinas (VAERS), patrocinado pelo Departamento de Saúde e Serviços Humanos dos Estados Unidos.

Entre para nosso canal do Telegram

Assista também:

 
Matérias Relacionadas