CDC investiga inflamação cardíaca após segunda dose de vacina contra Covid

Por Ezequiel Carneiro, Terça Livre

Um grupo de segurança do Centro de Controle e Prevenção de Doenças dos Estados Unidos, o CDC, afirmou nesta semana que existe uma provável associação entre os casos de inflamação cardíaca rara em adolescentes e adultos e a aplicação da segunda dose da vacina contra a Covid-19.

De acordo com o anúncio, os dados são recentes e apontam mais de 1200 casos de miocardite ou pericardite, principalmente em pessoas com menos de 30 anos que receberam os imunizantes da Pfizer ou da Moderna.

A miocardite é a inflamação do músculo cardíaco. Já a pericardite é a inflamação da membrana que envolve o coração.

“A apresentação clínica dos casos de miocardite após a vacinação tem sido distinta, ocorrendo mais frequentemente dentro de uma semana após a segunda dose, com dor no peito como sintoma mais comum”, afirmou a doutora Grace Lee, que preside o grupo de segurança do comitê.

Funcionários do CDC dos Estados Unidos estão coletando mais dados para investigação sobre os riscos potenciais das vacinas e a possível existência de problemas a longo prazo.

O analista político Italo Lorenzon questionou no Boletim da Noite de quarta-feira (23) se os problemas surgidos com relação às vacinas não seriam “ex-fake news”, já que a informação é de um órgão oficial do governo dos EUA.

“É grave no sentido de que você tem jovens, que deveriam ser saudáveis, desenvolvendo problemas do coração. Nem quem desenvolveu as vacinas tem condições de demonstrar que elas são seguras a médio e longo prazo”, afirmou Lorenzon.

Com informações, CNBC

 

Entre para nosso canal do Telegram.

Siga o Epoch Times no Twitter.

Siga o Epoch Times no Gab.

Veja também:

 
Matérias Relacionadas