TV chinesa expõe como empresa China Mobile ‘rouba’ seus clientes

Logo após o ex-chefe da segurança Zhou Yongkang ser expulso do Partido Comunista Chinês, a emissora estatal Central Chinesa de Televisão (CCTV) expôs as taxas de serviço que “roubam” os clientes da China Mobile. Os dois eventos estão relacionados, com a reportagem da CCTV servindo de alerta ao ex-líder chinês Jiang Zemin, um de seus filhos e sua facção, segundo analistas.

Em 5 de dezembro, a mídi estatal Xinhua anunciou que Zhou Yongkang foi removido do Partido Comunista Chinês (PCC) e enfrentaria um processo criminal. No dia 6 de dezembro, a CCTV informou que um grande número de clientes da China Mobile receberam cobranças da empresa por serviços que nunca foram solicitados.

As acusações são principalmente devido aos funcionários da China Mobile acrescentarem serviços extras sem a autorização do cliente, diz o relatório. A China Mobile é a maior empresa estatal de telecomunicações móveis por capitalização de mercado e, desde outubro de 2014, tem mais de 801 milhões de clientes.

Leia também:
• Como Jiang Zemin e seu filho lucraram com a corrupção
• Mídia chinesa revela como comprar e vender cargos públicos
• Figurões chineses são investigados nos Estados Unidos por negócios fraudulentos

Por exemplo, o sr. Cao, um cliente da China Mobile, recentemente descobriu que havia mais de mi yuanes (US$ 163) de taxas de serviços agregados a sua conta, como visualizações de texto, vídeo e pacotes de entretenimento. No entanto, nenhum desses serviços foram solicitados pelo sr. Cao, diz a reportagem.

Após o sr. Cao contatar o serviço ao cliente da China Mobile, eles cancelaram os serviços e prometeram devolver o dinheiro, mas não deram uma explicação por que estes serviços foram ativados sem a sua permissão. No entanto, poucos minutos após a ligação do sr. Cao para cancelar os serviços, vários outros serviços foram abertos em sua conta sem que ele fizesse nada para isso.

Essas ações “não são diferente de roubo”, disse a matéria. Uma gerente da empresa, a sra.Wang, revelou que todos os ramos da China Mobile têm metas mensais, trimestrais e anuais para alcançar determinado valor agregado de serviços.

“Se seguirmos as regras normais, nenhum ramo completará a tarefa”, disse a sra. Wang, “parte da meta é alcançada por meio de marketing, algumas através de familiares e amigos de funcionários, e algumas secretamente sem a permissão do cliente.”

Um funcionário anônimo disse que a China Mobile dá acesso a um grupo de funcionários administrativos para operar contas de clientes em grandes quantidades sem restrição de senhas. A abertura de mais de 47 mil serviços de valor agregado foram designados pela Mudanjiang, uma empresa que é parte da China Mobile, para o mês de fevereiro de 2013, diz o relatório.

A exposição da CCTV não é apenas um ataque à reputação da China Mobile, mas também um ataque a Jiang Mianheng, o filho de Jiang Zemin. Jiang Mianheng foi nomeado como a “figura central na indústria de telecomunicações”, segundo a Xinhua.

A família de Jiang Zemin por muito tempo tem controlado a indústria das telecomunicações da China, incluindo a China Mobile. Zhang Chunjiang, o ex-CEO da China Mobile, era um grande aliado de Jiang Mianheng. Antes de Zhang se mudar para a China Mobile, ele atuou entre 2003-2008 como secretário do Partido Comunista Chinês (PCC) e gerente-geral da China Netcom, com o apoio de Jiang Mianheng. Aproveitando-se do poder político do pai e da assistência de Zhang na indústria de telecomunicações, Jiang Mianheng se tornou a figura principal na área de telecomunicações da China.

No final de 2009, Zhang foi condenado à morte com pena suspensa por dois anos, por crimes econômicos.

De acordo com o comentarista político Xia Xiaoqiang, o momento da reportagem da CCTV sobre a China Mobile não foi acidental. Todas as transmissões da CCTV são estritamente examinadas por funcionários do Partido Comunista e uma revelação deste tipo num momento tão delicado e que critica implicitamente um alvo sensível – um membro da família de Jiang Zemin – não poderia ser coincidência.

Ao transmitir no dia após o anúncio da derrubada do ex-poderoso Zhou Yongkang, a notícia da CCTV insinuou uma conexão entre Zhou e Jiang Zemin, disse Xia. Isso também serve como um aviso para Jiang Mianheng, que ele também é um alvo.

Xia indicou que o caso de Zhou não é o fim do expurgo de ex-altos funcionários, e que o ex-líder Jiang Zemin provavelmente é outro líder aposentado que será julgado no futuro. A mídia chinesa está pavimentando o caminho para isso, disse ele.

 
Matérias Relacionadas