Canadense acusado de tráfico de drogas apela em tribunal e aumenta tensão entre os dois países

Crimes relacionados às drogas são rotineiramente punidos severamente na China

Por Reuters

PEQUIM – Um tribunal chinês ouvirá o apelo de um cidadão canadense acusado de tráfico de drogas em 30 de dezembro, disse um portal de notícias do governo, em um caso que poderia testar ainda mais as tensas relações entre Pequim e Ottawa.

Os dois governos se debruçaram sobre o destino de dois cidadãos canadenses detidos na China por suspeita de pôr em perigo a segurança do Estado e da prisão do Canadá de um alto executivo chinês a pedido dos Estados Unidos.

A alta corte na província de Liaoning, no nordeste do país, disse em 26 de dezembro que um homem identificado como Robert Lloyd Schellenberg seria julgado por acusações de tráfico de drogas na cidade de Dalian em 30 de dezembro.

Um portal de notícias do governo de Dalian disse no final de 26 de dezembro, que Schellenberg era um canadense e que esta era uma audiência de apelação, depois de um julgamento anterior onde foi descoberto que ele contrabandeava “uma enorme quantidade de drogas” para a China.

“A Global Affairs Canada acompanha este caso há vários anos e presta assistência consular ao cidadão canadense” desde que a pessoa foi detida pela primeira vez em Liaoning, disse Richard Walker, porta-voz do Ministério das Relações Exteriores do Canadá, em 27 de dezembro.

Citando preocupações com a privacidade, Walker disse que não há mais informações disponíveis.

A porta-voz do Ministério das Relações Exteriores, Hua Chunying, disse não ter conhecimento da situação, mas acrescentou que a China repetidamente deixou sua posição “solene” no Canadá.

Os crimes relacionados às drogas são rotineiramente punidos severamente na China.

A China executou um Bretão detido contrabandeando heroína em 2009, provocando protestos britânicos sobre o que consideraram “falta de qualquer avaliação de saúde mental”.

O Canadá pressionou pela libertação dos dois canadenses que a China deteve neste mês.

Os dois foram detidos depois que a polícia canadense prendeu a diretora financeira da Huawei Technologies Co Ltd, Meng Wanzhou, em 1º de dezembro. Nenhum dos países estabeleceu uma conexão direta entre os casos.

A China exigiu que o Canadá libertasse Meng, que está lutando contra a extradição para os Estados Unidos.

O Canadá prendeu Meng a pedido dos Estados Unidos, que está envolvido em uma guerra comercial com a China. Meng enfrenta extradição para os Estados Unidos para enfrentar acusações de fraude que levariam a uma sentença máxima de 30 anos de prisão por cada acusação.

 
Matérias Relacionadas