Campanha anticorrupção na China segue a todo vapor com limpeza na região nordeste

A campanha anticorrupção do líder chinês Xi Jinping derrubou outro funcionário de alto escalão.

Em 12 de dezembro, a agência anticorrupção do Partido Comunista Chinês anunciou que Zhang Jiehui, um quadro de alto escalão da legislatura carimbo da província de Hebei, está sendo investigado por “violar seriamente a disciplina do Partido”, um eufemismo para corrupção.

Como vice-presidente do Comitê Permanente do Congresso Popular Nacional (dentro da complicada burocracia do Partido, um “Comitê Permanente” geralmente significa o corpo mais poderoso dentro de um órgão do Partido), Zhang Jiehui é considerado um “tigre”, um termo chinês para funcionários do alto escalão.

China, campanha anticorrupção, poder - Um policial militar chinês faz guarda na entrada da Praça da Paz Celestial em Pequim em 23 de outubro de 2017. No canto inferior direito está uma foto de Zhang Jiehui (Nicolas Asfouri/AFP/Getty Images com composição da imagem pelo Epoch Times)
Um policial militar chinês faz guarda na entrada da Praça da Paz Celestial em Pequim em 23 de outubro de 2017. No canto inferior direito está uma foto de Zhang Jiehui (Nicolas Asfouri/AFP/Getty Images com composição da imagem pelo Epoch Times)

Ele é o terceiro tigre a ser derrubado desde a importante transição da liderança do Partido neste ano, o 19º Congresso Nacional, que ocorreu em outubro. Depois que Xi Jinping consolidou seu poder e nomeou um novo dirigente para o Comitê Central de Inspeção Disciplinar (CCID), Zhao Leji, para continuar a conduzir sua campanha, muitos especularam se Zhao teria disposição para manter o ritmo.

Antes do 19º Congresso Nacional, a publicação financeira chinesa Caixin calculou que 96 tigres foram condenados desde que Xi Jinping assumiu o poder em 2012.

Gangue de Liaoning

A investigação sobre Zhang Jiehui revela que o CCID tem sua mira atual focada nos funcionários com influência nas províncias do nordeste, Hebei e Liaoning.

Afinal, Zhang Jiehui foi um colega próximo de vários altos funcionários em ambas as províncias que estão atualmente sob investigação. Zhang nasceu em Liaoning e passou a maior parte de sua carreira lá, servindo em altos cargos nas cidades de Panjin e Anshan.

Em 23 de novembro, o CCID anunciou que Liu Qiang, o vice-governador de Liaoning, estava sendo investigado, fazendo dele o segundo tigre ser derrubado.

China, campanha anticorrupção, poder - Barcos navegam no rio Yalu que margeia a cidade de Dandong, província de Liaoning, Nordeste da China, em 23 de outubro de 2006 (Frederic J. Brown/AFP/Getty Images)
Barcos navegam no rio Yalu que margeia a cidade de Dandong, província de Liaoning, Nordeste da China, em 23 de outubro de 2006 (Frederic J. Brown/AFP/Getty Images)

Liaoning é conhecida por ser território ocupado por funcionários pertencentes à facção adversária do regime atual, tornando-os inimigos políticos de Xi Jinping. Leais ao ex-líder chinês Jiang Zemin, vários tigres da facção de Jiang começaram suas carreiras políticas por lá. O ex-chefe da segurança pública, Zhou Yongkang, foi encarregado dos lucrativos campos de petróleo de Liaohe e atuou como prefeito da cidade de Panjin. Enquanto isso, o ex-secretário do Partido na cidade de Chongqing, Bo Xilai, serviu como governador de Liaoning e prefeito da cidade de Dalian. Li Changchun, um ex-membro do corpo mais poderoso do Partido, o Comitê Permanente do Politburo, foi vice-governador na província; e o ex-general Xu Caihou ascendeu nas fileiras militares enquanto estava estacionado na região. Todos, exceto Li Changchu, que se aposentou em 2013, já foram expurgados pela campanha anticorrupção de Xi Jinping.

Enquanto isso, Zhang Jiehui estava próximo do secretário do Partido em Hebei, Zhou Benshun, que por sua vez trabalhou sob Zhou Yongkang quando este foi chefe do poderoso aparato de segurança interna da China.

O último movimento do CCID indica que eles estão fechando o cerco em torno de qualquer influência de Jiang Zemin que ainda reste na região.

Crimes de Zhang Jiehui

As transgressões e problemas anteriores de Zhang Jiehui podem indicar as razões de suas tribulações atuais. Em dezembro passado, enquanto atuava como vice-governador de Hebei, ele permitiu que uma empresa siderúrgica, An Feng, iniciasse um projeto antes de obter aprovação. Zhang foi censurado pelo Conselho de Estado e recebeu um aviso. No início deste ano, Zhang renunciou ao cargo de vice-governador.

Duas grandes explosões também ocorreram durante o mandato de Zhang Jiehui, o que pode ter manchado seu registro aos olhos do Partido. Em 2014, um armazém de fogos de artifício explodiu no município de Ningjin, causando pelo menos 15 mortes, de acordo com informações oficiais. Em 2015, uma indústria química operada pelo Grupo Kailuan na cidade de Tangshan explodiu, resultando em uma morte e 12 desaparecidos.

Leia também:
Campanha anticorrupção na China deixa vários postos vazios no governo
Líder chinês enfraquece Liga da Juventude Comunista e facção rival

A mídia chinesa também informou que Zhang Jiehui desviou ativos de empresas estatais em Hebei.

Em notícias relacionadas, Sun Zhengcai, outro tigre que foi considerado outrora um potencial sucessor da liderança do Partido Comunista Chinês após Xi Jinping, foi preso e será processado num tribunal, de acordo com um anúncio do principal órgão processual do Partido, a Suprema Procuradoria Popular, em 11 de dezembro. Sun Zhengcai foi nomeado um conspirador com Bo Xilai, Zhou Yongkang, Xu Caihou e outras autoridades da facção de Jiang Zemin na tentativa de organizar um golpe contra a liderança do regime.

Contribuíram: Zhang Dun & Xu Meng’er

Leia também:
China: investigação de 8 executivos bancários expõe corrupção generalizada
Diretor de prisão com passado sombrio é purgado em campanha anticorrupção na China

 
Matérias Relacionadas