Califórnia busca usar criptomoeda como moeda legal

O único outro estado que busca ter criptomoedas consideradas legais é o Arizona

Por Brandon Drey 

SACRAMENTO – Os californianos podem começar a usar criptomoedas para pagar mantimentos, aluguel ou a renovação da carteira de motorista já no próximo ano, depois que dois projetos de leis foram introduzidos recentemente para tornar a moeda digital uma forma de pagamento aceitável.

No mês passado, o senador Sydney K. Kamlager (democrata de Los Angeles) apresentou o Projeto de Lei 1275 do Senado, que autoriza agências estaduais a aceitar criptomoedas para serviços governamentais, e o deputado da Califórnia Jordan Cunningham (republicano de San Luis Obispo) apresentou o Projeto de Lei 2689, que tornaria a moeda virtual uma forma aceitável de licitação para bens e serviços em entidades públicas e privadas.

Ambos sinalizaram que o estado está “aberto para negócios” no mercado de criptomoedas, disse Ian Calderon, consultor e ex-líder da maioria da Assembleia Estadual da Califórnia que está aconselhando as duas legislações.

No entanto, Calderón disse que a implementação de criptomoedas como moeda legal enfrenta ambiguidade legal e falta de certeza para as cidades locais. Como resultado, disse ele, alguns podem querer ter programas-piloto que aceitem moedas virtuais primeiro se a legislação for aprovada.

“Não há nada na lei estadual da Califórnia no momento que diga que você não pode fazer isso”, disse Calderón. “Mas também não há nada que diga que você pode”.

Tal como está, a Constituição dos EUA permite que os estados determinem o que representa sua moeda legal.

Calderón disse que o projeto de lei criaria proteções que permitem a proteção do consumidor e regulamentações que deixam claro como os setores público e privado podem interagir com a moeda virtual.

De acordo com Calderón, se a lei for aprovada, agências governamentais e empresas que aceitam criptomoedas poderão optar imediatamente por convertê-las em dólares americanos normais ou mantê-las como dinheiro virtual para manter ou reinvestir em mercados de criptomoedas.

“É importante que estejamos fazendo esse esforço na Califórnia por causa das implicações nacionais que isso terá”, disse ele. “O objetivo aqui é ter uma legislação modelo nacional que funcione em qualquer lugar do país”.

Atualmente, o único outro estado do país que busca ter criptomoedas consideradas moeda legal é o Arizona.

O presidente Biden assinou uma ordem executiva no dia 9 de março pedindo “desenvolvimento responsável” de ativos digitais. As questões de preocupação a serem abordadas, de acordo com a ordem, incluem garantir que os consumidores estejam protegidos contra riscos financeiros sistêmicos; como tornar os mercados de criptomoedas menos voláteis; e como prevenir o uso de criptomoedas para atividades ilegais.

O pedido de Biden cita uma pesquisa da Time Magazine de novembro passado, afirmando que as criptomoedas ultrapassaram um mercado de US $3 trilhões. Além disso, aproximadamente 40 milhões de americanos – ou 16% da população – de acordo com o pedido, investiram, negociaram ou usaram criptomoedas desde que o Bitcoin surgiu em 2009, e mais de 100 países exploraram ou experimentaram sua própria chamada Moeda digital do Banco Central, que são como criptomoedas, mas são emitidas por um banco central, como o Federal Reserve dos EUA. A criptomoeda não está vinculada a nenhum banco.

Dennis Porter, estrategista político de Portland e defensor do Bitcoin, que também está trabalhando para avançar na legislação, disse que esses dólares digitais controlados pelo governo são o oposto do objetivo do Bitcoin de hoje.

Porter disse ao Epoch Times que os humanos precisam de uma forma de dinheiro em que possam armazenar valor sem “depreciação dos governos”.

“O Bitcoin não precisa de permissão e é resistente à censura”, disse ele, referindo-se ao recente congelamento de contas bancárias do primeiro-ministro canadense, Justin Trudeau, dos associados ao protesto Comboio da Liberdade em Ottawa, no mês passado.

“Espero que nosso governo se concentre em construir aspectos de privacidade, não em utilizar uma ferramenta para controlar quando e onde as pessoas podem gastar dinheiro, e acho que o Bitcoin é a melhor maneira de fazer isso”, disse Porter.

Em última análise, Porter disse que espera que o país siga “na direção certa” com moedas digitais, citando exemplos como El Salvador, que recentemente se tornou a primeira nação a adotar o Bitcoin como moeda nacional, em oposição à postura voltada a Moeda Digital do Banco Central da China, como a antítese.

“Devemos incentivar o dinheiro que pode ser usado com verdadeira igualdade e acesso”, disse ele.

Entre para nosso canal do Telegram

Assista também:

 
Matérias Relacionadas