Cachorra extremamente mal tratada perde todas as 4 patas e hoje anda com prótese

'Cada dia ela se move com mais confiança', afirmou o veterinário

Por Celeste Armenta 

Uma indefesa cachorrinha que estava prestes a ser sacrificada porque ficou sem as quatro patas, foi salva graças a veterinários russos que conseguiram colocar 4 próteses em seus membros.

Monica, uma cadela mestiça, foi encontrada em dezembro de 2020 nas ruas de Plastunóvskaya, no sul de Krasnodar, na Rússia, à beira da morte e, além disso, em condições extremas de abuso: o pobre animal tinha as pernas mutiladas.

Marina Gapich, ativista dos direitos dos animais de Krasnodar, foi alertada do caso extremo.

“Meu vizinho me ligou e me disse que o mestiço indefeso estava deitado no chão frio há duas semanas e se recusa a comer”, afirmou Gapich à mídia local RG.

Temendo que o cachorro não sobrevivesse mais uma noite, Gapich e sua amiga Alla Leonkina a levaram para uma clínica veterinária local, onde os veterinários lutaram por sua vida. Felizmente, o bichinho acordou após 10 dias, mas era evidente que não voltaria a correr com as 4 patas.

É muito difícil para um cão sobreviver sem um de seus membros e, em muitos casos, eles são sacrificados. Embora existam alguns que podem se mover com uma cadeira de rodas adaptada ou engatinhar de barriga para baixo, a realidade era que Monica estava sem as 4 patas, e a clínica os aconselhou a deixá-la ir.

Imagem ilustrativa (PATRICIA DE MELO MOREIRA/AFP via Getty Images)
Imagem ilustrativa (PATRICIA DE MELO MOREIRA/AFP via Getty Images)

Gapich e Leonkina afirmaram à CNN que passaram “noites sem dormir” cuidando da peludinha e que não concordavam em acabar com a vida de Monica. Felizmente, o povo de Krasnodar, que ouviu falar do triste caso, concordou em procurar esperança para Monica e encontraram um vislumbre de esperança em Sergei Gorshkov, veterinário da clínica Best em Novosibirsk, na Rússia.

Em 2016, Gorshkov colocou próteses nos quatro membros de Ryzhik, um gato que perdeu membros devido ao congelamento. O mesmo caso se aplica a Dymka, outro gatinho, e ambos os casos foram bem sucedidos. As “patas de titânio” para gatinhos foram criadas por veterinários e cientistas de Tomsk, de acordo com a RG.

Gapich e Leonkina assumiram a tarefa de arrecadar dinheiro para poder enviar Monica para a clínica Best para que pudesse receber suas quatro próteses.

“O caso foi difícil”, afirmou Gorshkov. “Ninguém fez esse tipo de prótese antes. A tomografia mostrou que os ossos do animal estão muito deformados. Além disso, o peso do cão é significativamente maior do que o do gato. Mas decidimos arriscar”.

O veterinário Sergei Gorshkov acaricia Monika, uma cadela amputada com quatro membros artificiais, em uma clínica veterinária de Novosibirsk, no dia 19 de novembro de 2021 (ROSTISLAV NETISOV/AFP via Getty Images)
O veterinário Sergei Gorshkov acaricia Monika, uma cadela amputada com quatro membros artificiais, em uma clínica veterinária de Novosibirsk, no dia 19 de novembro de 2021 (ROSTISLAV NETISOV/AFP via Getty Images)

E eles fizeram. Após apenas 10 dias de recuperação, Monica deu seus primeiros passos!

“Cada dia ela se move com mais confiança, suas pernas estão curando bem”, afirmou a emocionada Gapich. “Sergei Sergeevich é um verdadeiro mago!”

Devido à gravidade do caso, um processo criminal foi aberto em Krasnodar pelo abuso de Monica, no entanto, o culpado nunca foi identificado.

(ROSTISLAV NETISOV/AFP via Getty Images)
(ROSTISLAV NETISOV/AFP via Getty Images)

Depois de quase morrer, hoje a peluda começou a ser chamada – em tom de brincadeira – de primeiro cão robô do mundo. Ela finalmente teve mais uma chance na vida graças às jovens determinadas e aos bons corações daqueles que a ouviram e apoiaram.

Entre para nosso canal do Telegram

Assista também:

 
Matérias Relacionadas