Broto de trigo: um super alimento e fácil de produzir

Entre todos os cereais, o trigo (Triticum aestivum) tem uma distinção especial: contém todos os elementos essenciais para a vida humana. Todas essas vitaminas, minerais, proteínas e amidos se encontram de forma balanceada no grão do trigo. Quando o trigo brota, todos esses nutrientes aumentam e, devido à ativação de suas enzimas durante a brotação, ele também se torna mais fácil de digerir.

O suco de brotos de trigo recém germinados contém altas quantidades de vitaminas, como A, B, C, E e K, assim como 92 tipos de sais minerais. O líquido contém quase a metade de ferro que o espinafre e a acelga têm, porém sem o ácido oxálico [que é tóxico]; além disso, contém 18 aminoácidos, dos quais 8 são essenciais para a saúde humana.

“O suco de broto de trigo é o alimento verde mais fresco que se pode consumir”, disse Aaron Matsil, da empresa Alimentos Perfeitos. “Os brotos continuam crescendo até o instante em que são consumidos”, afirmou.

“Por que alguém faria um suco de broto de trigo? Simplesmente porque não necessita ser processado, pasteurizado e tem nutrientes vivos que não seríamos capazes de obter de nenhum produto envasado”, afirmou Matsil. “Essa mistura tem micronutrientes em que se encontram intactas as enzimas, e todavia estão ativas e não são danificadas pelo processamento; portanto, são capazes de atuar no corpo e ser absorvidas, Em comparação, outros micronutrientes normalmente se dissipam rapidamente depois de processarmos os alimentos”.

Contendo cerca de 70% de clorofila, o suco do broto de trigo foi conhecido por algum tempo simplesmente como “clorofila líquida”. O broto pode ajudar a normalizar a pressão sanguínea, a digestão, e promover a desintoxicação geral do organismo. O processo de germinação demora de 7 a 10 dias para o tempo de colheita ideal para se preparar o suco. Existem centrífugas específicas para liquidificar o broto, que fazem a extração do suco e preservam seus nutrientes essenciais de forma integral e viva.

O pai de Matsil, Harley Matsil, começou sua companhia em um sótão no bairro do Brooklyn, em Nova York, período em que o broto de trigo era popular apenas na Califórnia.

Sua empresa foi a pioneira no uso do broto de trigo na área de Nova York. Através da propaganda boca a boca atingiu uma dimensão humilde, porém agora está crescendo e produz até 3 mil bandejas por semana, entregando em todas as bancas de produtos naturais, lojas de sucos e também em alguns mercados. O cultivo do broto de trigo em estufas permite um melhor controle dos fatores, assim como maior controle de luminosidade (para maior conservação dos nutrientes) do que aqueles que se desenvolvem ao ar livre.

Durante anos, os Matsil escutaram testemunhos dos clientes informando sobre os benefícios que experimentaram. “Em geral, as primeiras coisas que as pessoas comentam depois de alguns dias é: provei e me senti com um pouco mais de energia… agora sou capaz de dormir melhor e despertei mais disposto”, disse Aaron Matsil. Algumas semanas depois, as pessoas costumam relatar uma melhora geral e notam-se melhorias na pele, nos cabelos e nas unhas.

Logo, temos outra categoria: das pessoas que reportam melhoras de qualquer enfermidade degenerativa, da dor crônica, das dores nas costas, das alergias ou dos problemas relacionados com a pele. “Tudo o que tem sido um problema crônico, se dissipa ou diminui”, afirmou Matsil.

Também se escuta com frequência sobre a luta de pessoas contra o câncer. “Estimo que 15% dos consumidores regulares do broto de trigo estão lutando contra o câncer e estão fazendo uso de forma perseverante durante muitos anos, obtendo bons resultados; porém nem todos atingem o que esperam, mas na maioria dos casos os resultados são bons. Tivemos contato com pessoas que sofrem com diabetes, câncer e artrite, e escutamos histórias de melhoras em doenças crônicas e difíceis todo o tempo”.

Seu pai, Harley, relatou o caso de um homem com câncer linfático, nos primeiros dias da empresa. “Perguntou-me se podia  ajudá-lo a aprender cultivar brotos de trigo por contra própria”. Reunimos os materiais (terra, bandejas novas, um aparelho de umidificação e uma fonte de luz) e fomos à sua casa em Spring Valley. “Durante o transcurso de seis horas lhe foi ensinado como fazer crescer o broto de trigo, passo a passo até compreender o processo.

Não ouvi nada dele por muito tempo, já que ele se converteu em seu próprio provedor. Um ano mais tarde me chamou, porque necessitava de mais sementes. Foi, então, quando me disse que seu médico lhe havia informado que estava livre do câncer. Os médicos disseram que deveria ter tido um diagnóstico equivocado, já que o câncer desse tipo geralmente é fatal; porém, três médicos distintos coincidiram com o mesmo diagnóstico. Impossível de acreditar. Sua terapia foi beber 113g de broto de trigo diariamente e não comer carne vermelha; isso foi tudo. Os médicos estavam desconcertados.”

Uns 20 anos depois, enquanto fazia uma demonstração do produto, Harley Matsil ouviu que alguém o chamava: “Era ele, vivo e com muito boa saúde; agora com 20 anos a mais desde que o conheci. E ele disse para mim: “Sigo consumindo suco de broto de trigo todos os dias”, no restante do dia permaneceu ao meu lado. Durante a demonstração, insistiu para que cada pessoa escutasse o que eu dizia, assegurando que era verdadeiro, e que o broto de trigo tinha salvado a sua vida”.

Estudos

Existem alguns estudos preliminares sobre o broto de trigo, porém não são muitos, e de acordo com Aaron Matsil, têm falhas no seu enfoque:

“O problema é que a maioria dos estudos clínicos, quando fazem um estudo a fundo, são financiados por um instituto de investigação de grande porte, que conta com milhões de dólares para tomar posse de todo o conhecimento sobre o produto tentando isolar um dos fatores para sintetizá-lo e logo distribuir no mercado na forma de pílulas.

Porém, o broto de trigo tem muitos nutrientes que somente atuando de forma associada podem gerar resultado; não é necessariamente apenas um fator”, disse Aaron Matsil.

Os estudos incluem pesquisas sobre a colite ulcerosa, outro sobre se o broto de trigo pode aumentar a oxigenação dos tecidos orgânicos. Na Austrália um médico criou um extrato de broto de trigo para uso tópico sobre a pele e tem reportado bons resultados.

Em um estudo piloto publicado na revista Nutrição e Câncer, em 2007, as pacientes com câncer de mama que utilizaram o suco, já no dia seguinte mostraram uma menor necessidade de medicação durante a quimioterapia, e não houve prejuizo algum nos efeitos da quimioterapia.

Em outro estudo piloto, publicado no Indian Pediatric de 2004, as crianças com talassemia (uma forma hereditária de anemia, que a princípio requer transfusões de sangue), ingeriram 100ml de suco ao dia. Como resultado, a metade mostrou uma menor necessidade de transfusões. Não se observaram efeitos adversos.

Livre de glúten

O broto de trigo é benéfico aos que são intolerantes ao glúten, já ele está livre de glúten. As alergias ao trigo são normalmente uma reação ao glúten, que se encontra no grão do trigo. O broto é uma haste vegetal que não possui a formação de grãos; mas, exatamente por isso, necessita ser colhido antes da formação do grão, e dessa forma estará livre de glúten.

No caso dos celíacos é preciso tomar um certo cuidado ao se fazer o suco com o broto do trigo, pois algumas sementes não germinadas podem ser introduzidas na hora de se fazer o suco. Ainda que isso seja raro de ocorrer, é melhor que as pessoas com intolerância ao glúten façam o seu próprio suco e consultem seu médico ou nutricionista antes de associar à sua dieta o broto de trigo.

Então, assegure-se de não incluir sementes na centrífuga sem preceber. Se for tomar o suco do broto de trigo em uma loja do ramo, peça para a pessoa que faz a preparação do suco para ter muito cuidado de não incluir nenhuma semente.

Leia também: 

Chia: ingrediente super nutritivo para um café da manhã rápido

Os nove superalimentos mais nutritivos

Como fazer suas crianças terem uma alimentação nutritiva

Doses e efeitos secundários

Como suplemento nutricional diário é recomendado utilizar-se entre 28 e 56 gramas de broto de trigo em forma de suco, preferentemente com o estômago vazio. O melhor método é beber lentamente em pequenas quantidades. É prudente começar bebendo sempre aos poucos e aumentar a dose gradativamente. Como parte de um regime curativo, são adequadas de 56 a 113 gramas ao dia.

Para as pessoas com enfermidades degenerativas ou que estão tratando de melhorar drasticamente sua saúde, Aaron Matsil recomenda beber até 113 gramas ao dia. Para alguém que tem câncer, 170 gramas.

Os efeitos secundários, como dores de cabeça, podem ser experimentados quando o corpo começa a eliminar qualquer matéria impura, toxinas ou resíduos acumulados.

A história do broto de trigo

Por milhares de anos a humanidade tem germinado sementes para uso medicinal e com a finalidade de complementar a dieta. O cultivo do trigo remonta há mais de 5.000 anos e ocorreu em inúmeros países e civilizações, incuindo o antigo Egito e provavelmente as primeiras civilizações da Mesopotâmia. Supõe-se que os antigos egípcios encontraram brotos jovens do trigo e o utilizaram por seus efeitos medicinais.

Antigos manuscritos chineses registram o uso de sementes germinadas regularmente no ano 3.000 a.C. com os seguintes usos terapêuticos: transtornos digestivos, dores musculares e sensação de inchaço. Muitos povos da China e outros povos do oriente germinavam as sementes de trigo para usá-las como parte de sua dieta diária.

O consumo de broto de trigo no ocidente surgiu posteriormente e, depois de cair em desuso, voltou a surgir na década de 1930, depois que um químico norte americano, Dr. Charles Schnabel, curou seus frangos enfermos alimentando-os com brotos de trigo recém colhidos. Esse caso dos frangos é bastante revelador, porque os frangos não somente recuperaram a saúde, mas também a produção de ovos passou de um a cada três dias para um ovo por dia. Schnabel sabia que o gado tinha um grande ganho de peso quando se alimentava de brotos de trigo na primavera,  e também que o gado leiteiro incrementava a sua produção de leite em 30% devido ao consumo de brotos de trigo.

Schnabel e outros cientistas descobriram que o conteúdo de nutrientes do broto de trigo se encontrava em seu nível mais alto justamente antes do que se conhece como a “etapa de brotação” (quando o primeiro nó é visível na base do talo). Nesta etapa, a concentração de nutrientes está no seu auge e é mais elevada do que em qualquer outra verdura de folha verde escura. Nesse momento, Schnabel e alguns investidores passaram a produzir comercialmente o que provavelmente foram as primeiras barras de multivitamínicos do mundo, feitas de ervas e cereais desidratados (principalmente do broto de trigo).

Em 1926, outro cientista, Dr. C Saunders, publicou a sua investigação “O valor nutricional da clorofila em relação à formação de hemoglobina” nas Atas da Sociedade de Biologia e Medicina Experimental. A fonte de clorofila para a investigação era proveniente do broto de trigo desidratado, fornecida por Schnabel, e isso permitiu mais estudos sobre os efeitos da clorofila na saúde humana e em particular sobre os seus efeitos desintoxicantes.

Revistas médicas da época publicaram resultados positivos depois que ginecologistas, oftalmologistas, dentistas e outros profissionais da área da saúde incluíram barras de broto com cereais na dieta dos pacientes. Os médicos descobriram que as mães passavam a produzir mais leite, com mais aporte em vitaminas e nutrientes e, consequentemente, seus bebês tornavam-se mais sadios e com uma taxa de mortalidade infantil mais baixa quando essas barras eram incluidas em sua dieta.

Com a introdução das vitaminas sintéticas (sintetizadas a partir de derivados de petróleo) na década de 1940, este complexo multivitamínico de broto de trigo foi deixado de lado pelo público em geral, que optou pelos chamados “milagres da ciência moderna”.

Na década de 1940, a Dra. Ann Wigmore alegou curar-se de câncer de cólon através do uso de suco de broto de trigo e do consumo de folhas frescas de trigo. Ela soube das propriedades curativas do trigo durante a Primeira Guerra Mundial, quando sua avó usava o broto de trigo e outras ervas para curar os soldados feridos no povoado europeu em que nasceu.

No “The book of Wheatgrass” (O livro da erva de trigo) Ann Wigmore escreveu: “Se você sofre de fadiga crônica, sinusite, úlceras ou uma enfermidade mais grave como o câncer, um extrato de clorofila de brotos de trigo de sete dias de vida podem ajudar, inclusive quando outros medicamentos têm falhado. É claro que nada pode substituir uma dieta saudável e equilibrada, exercício e uma atitude positiva para manter-se em perfeitas condições. O broto de trigo pode lhe proporcionar energia e dar forças para ajudar a ter um melhor controle da sua saúde”.

——

Luke Hughes é um herbalista clássico ocidental e horticultor 

 
Matérias Relacionadas