Brasil comemora o 10º Aniversário do Fórum Social Mundial

SALVADOR – Durante o 10º Aniversário do Fórum Social Mundial (FSM) na Grande Porto Alegre, o Presidente Luiz Inácio Lula da Silva, marcou sua participação no Fórum com um discurso no Ginásio Gigantinho em Porto Alegre em 26 de janeiro, em que disse que irá ao Haiti em 25 de fevereiro, e levará médicos brasileiros. O presidente propôs que o Fórum Social Mundial estabeleça solidariedade com o Haiti como uma meta.

“Ensinamos ao mundo como uma força de paz pode ser, sem interferência na política ou prática de violência contra o povo desse país. Que este terremoto sacuda a vergonha dos seres humanos que governam este planeta, para que possamos fazer pelo Haiti agora, o que deveríamos ter feito há dez anos […] Queremos levar médicos brasileiros para oferecer solidariedade, para que possamos dar a este país oportunidade de se tornar um país soberano e tem uma democracia em funcionamento”, disse ele.

O FSM salientou que deve haver outra cultura política que vai além da luta pelo poder e também enfatizou a necessidade de se pensar sobre o desenvolvimento para além da questão econômica, citando como exemplo a crise econômica mundial de 2008 e 2009.

Trinta e cinco mil pessoas se reuniram para 915 atividades no Rio Grande do Sul. Realizado entre 25 e 29 de janeiro, o Fórum também reuniu pessoas em sete cidades do sul do Brasil. Além de uma avaliação geral do 10º Aniversário do Fórum, temas de grande importância no cenário mundial, bem como temas específicos sobre o Brasil foram discutidos.

O evento, que se opõe ao imperialismo, neoliberalismo e a qualquer forma de dominação mundial pelo capital, recebeu uma avaliação positiva, não só por causa das atividades e do grande número de pessoas presentes, mas principalmente devido aos vários temas, que trataram da educação, ambiente, cultura, economia, democracia, direitos humanos, entre outros.

Um dos organizadores do Acampamento Intercontinental da Juventude, Eduardo Nunes, disse que o evento não é apenas uma discussão, mas que os temas discutidos serão colocados em prática em diferentes partes do mundo. “Queremos mostrar que com a nossa diversidade, propomos e praticamos uma nova ideia de mundo […] temos que pensar sobre a importância da biodiversidade, sustentabilidade, e fazer esforços não apenas discutindo a educação ambiental, mas torná-la uma realidade.”

Nunes também destacou a participação dos jovens, “Agora que nós estamos vivendo numa globalização imperialista, o Acampamento Intercontinental da Juventude está reunindo grupos de diferentes países para discutir uma nova atitude, uma nova ideia de mundo”, disse ele. Grupos de jovens representaram 27% dos participantes no Fórum Social Mundial.

O Fórum Social Mundial de 2010 teve eventos e organização descentralizada, e ocorrerá em todo o mundo na forma de fóruns regionais e discussões de temas ao longo do ano. Os organizadores do Fórum em Porto Alegre acreditam que algumas das questões suscitadas em Porto Alegre certamente contribuirão para as discussões em outros lugares.

 
Matérias Relacionadas