Blinken expressa profunda preocupação com o rápido crescimento do arsenal nuclear da China

Por Ivan Pentchoukov

O secretário de Estado dos EUA, Antony Blinken, disse a um grupo de chanceleres na sexta-feira que está profundamente preocupado com o rápido crescimento do arsenal nuclear da China.

Blinken fez os comentários durante uma reunião virtual com o fórum regional da Associação das Nações do Sudeste Asiático, segundo o Departamento de Estado . O secretário pediu à China que pare com seu comportamento “provocativo” no Mar da China Meridional e levantou preocupações sobre abusos de direitos humanos no Tibete, Hong Kong e Xinjiang , de acordo com um resumo das declarações divulgadas pelo Departamento de Estado.

“O secretário também notou sua profunda preocupação com o rápido crescimento do arsenal nuclear [da República Popular da China], que destaca como Pequim se desviou drasticamente de sua estratégia nuclear de décadas baseada na dissuasão mínima”, disse o departamento.

A China terá cerca de 250 novas instalações subterrâneas para abrigar e lançar mísseis balísticos intercontinentais (ICBMs) assim que terminar de construí-los, segundo a Federação Americana de Cientistas, em relatório publicado em 26 de julho. Esse número, de acordo com o grupo de especialistas, é maior do que todos os ICBMs operados pela Rússia e metade da força de ICBM dos EUA.

“O programa de silos de mísseis chinês constitui a construção de silo mais extensa desde a construção de silos de mísseis dos Estados Unidos e da União Soviética durante a Guerra Fria”, afirma o relatório.

Os Estados Unidos e a Rússia há muito tentam, mas não têm sucesso, levar a China a um acordo de armas nucleares.

O Departamento de Defesa estimou em 2020 que o arsenal de ogivas nucleares da China era de “cerca de 200”. O relatório estimou que o arsenal dobraria à medida que a China expandisse suas forças nucleares. Analistas estimam que os Estados Unidos tenham 3.800 ogivas.

Durante uma audiência no Congresso em abril, o almirante da Marinha dos EUA Charles Richard disse ao Congresso que o arsenal nuclear da China estava passando por uma “expansão sem precedentes” e que Pequim estava “a caminho de dobrar seu arsenal nuclear até o final da década”.

Em resposta à nova descoberta dos silos da China, o Comando Estratégico dos Estados Unidos disse em uma mensagem no Twitter que “o público descobriu o que estivemos dizendo o tempo todo sobre a crescente ameaça que o mundo enfrenta e o véu de sigilo que a cerca”.

Pequim diz que seu arsenal é pequeno em comparação ao dos Estados Unidos e da Rússia e que está disposta a manter diálogos bilaterais sobre segurança estratégica “com base na igualdade e no respeito mútuo”.

Blinken participou esta semana de uma série de reuniões regionais nas quais tentou reforçar a mensagem dos Estados Unidos de que levam a sério seu compromisso com os países asiáticos no trato com Pequim.

Com informações de Frank Fang e Reuters.

Entre para nosso canal do Telegram

Siga o Epoch Times no Gettr

 
Matérias Relacionadas