Biden e Putin conversarão nesta quinta-feira

Chamada veio a pedido da Rússia para discutir uma 'gama de questões estratégicas e de segurança'

Por Nick Ciolino

O presidente Joe Biden agendou um telefonema de líder para líder com o presidente russo Vladimir Putin para quinta-feira, 30 de dezembro.

De acordo com um alto funcionário do governo, a chamada veio a pedido da Rússia para discutir uma “gama de questões estratégicas e de segurança”.

A Rússia concentrou tropas na fronteira com a Ucrânia nas últimas semanas, com estimativas de mais de 90.000 soldados ao longo da fronteira e na Crimeia, anexada à Rússia.

E no início deste mês, Moscou apresentou projetos de documentos de segurança exigindo que a OTAN negasse a adesão à Ucrânia e outros países da ex-União Soviética e retirasse seus posicionamentos militares na Europa Central e Oriental.

Os Estados Unidos e seus aliados recusaram-se a oferecer à Rússia quaisquer garantias, citando o princípio da OTAN de que a adesão está aberta a qualquer país que cumpra os requisitos.

Na convocação, o presidente Biden deve deixar claro para Putin que os Estados Unidos ainda estão coordenando com seus aliados a imposição de sanções severas contra a Rússia, caso ela invada a Ucrânia.

Biden realizou esse aviso quando os dois líderes falaram pela última vez durante uma teleconferência no dia 7 de dezembro.

Na próxima teleconferência, Biden também deve deixar claro que os Estados Unidos estão preparados do ponto de vista da diplomacia e da via diplomática.

“Acho que ambos os líderes acreditam que há um valor genuíno no engajamento direto de líder para líder, que estamos em um momento de crise já há algumas semanas, devido à prontidão da Rússia, e que um alto nível de engajamento será necessário para resolver isso e tentar encontrar um caminho de desaceleração”, declarou um alto funcionário da administração.

O Secretário de Estado, Antony Blinken, conversou com o presidente ucraniano, Volodymyr Zelenskyy, na quarta-feira, para coordenar e consultar uma série de questões da perspectiva do governo ucraniano.

A chamada vem antes das negociações bilaterais de alto nível entre a Rússia e os Estados Unidos, programadas para a semana de 10 de janeiro, em Genebra. Estas incluirão o Diálogo de Estabilidade Estratégica, bem como o Conselho OTAN-Rússia e a reunião do Conselho Permanente da Organização para a Segurança e Cooperação na Europa (OSCE).

Autoridades americanas afirmaram que o aumento militar, junto com o aumento da atividade anti-ucraniana nas redes sociais, remonta a um “manual semelhante” usado por Putin em 2014, quando a Rússia ocupou a Crimeia.

As autoridades também declararam que, se a Rússia invadir a Ucrânia, as sanções impostas excederão em muito o que foi aplicado em 2014.

O conselheiro de segurança nacional, Jake Sullivan, afirmou para repórteres em dezembro que os Estados Unidos têm mantido conversações intensas com o governo alemão que entram e saem da questão do gasoduto Nord Stream 2, no contexto de uma possível invasão russa da Ucrânia.

Entre para nosso canal do Telegram

Assista também:

 
Matérias Relacionadas