Biden conversou com Hunter sobre seus negócios na China, segundo mensagem de voz

Por Rita Li

Uma mensagem de voz recuperada revela que o presidente Joe Biden ligou para seu filho, Hunter Biden, no final de 2018, para discutir uma reportagem do New York Times sobre as negociações deste último com um magnata do petróleo chinês que havia sido acusado de crimes financeiros.

O correio de voz vazado contradiz as alegações de Biden de que ele nunca falou com Hunter sobre seus negócios no exterior.

“Acho que você não fez nada de errado”, disse Biden a Hunter no áudio, publicado pela primeira vez pelo Daily Mail em 27 de junho. “E de qualquer maneira, se você tiver a chance, me ligue, eu te amo.”

O correio de voz, datado de 12 de dezembro de 2018, veio do iPhone antigo de Hunter, sendo copiado para o laptop que ele deixou para trás. Isso ocorreu depois que o NY Times publicou um artigo detalhando os laços de Hunter com o ex-presidente da gigante petrolífera chinesa CEFC, Ye Jianming, que foi preso na China por acusações de suborno em 2018.

“Olá amigo, sou eu, papai”, começou Biden com sua mensagem. “São 8:15 da noite de quarta-feira. Se você tiver uma chance, me ligue. Não é nada urgente. Eu só queria falar com você”.

“O artigo publicado na Internet, que sairá amanhã no Times, me pareceu bom”, disse.

Negócios de Hunter Biden na China

O NY Times informou sobre uma reunião privada entre Ye e Hunter em Miami, em maio de 2017.

Além disso, quando um assessor de alto escalão de Ye, Patrick Ho, foi preso pelo FBI por corrupção e suborno em 2017, Ho teria ligado para o irmão de Biden, James Biden. Este último disse mais tarde ao NY Times que acreditava que a ligação era para seu sobrinho Hunter.

Segundo uma carta revelada, a CEFC China Energy também pagou US$ 1 milhão para Hunter Biden encontrar um advogado nos EUA para Ho, a quem Hunter certa vez chamou de “chefe de espionagem da China”.

Ao longo de sua campanha presidencial, Biden negou repetidamente o conhecimento dos negócios estrangeiros de seu filho.

“Eu nunca conversei com meu filho sobre suas relações internacionais”, disse Biden em uma arrecadação de fundos para os Democratas de Iowa em 2019, acusando o então presidente Donald Trump de tentar “manchá-lo”.

Durante o segundo debate presidencial de 2020, Biden foi mais longe, alegando que as histórias sobre o laptop de seu filho eram “uma armação russa”.

Desde que assumiu o cargo, Biden negou repetidamente essas alegações, tanto pessoalmente quanto por meio de seus porta-vozes da imprensa.

A Casa Branca não respondeu imediatamente a um pedido de comentário.

“PROVA IRREFUTÁVEL!” O Rep. Jody Hice (R-Ga.) escreveu no Twitter ao saber do correio de voz. “Nem mesmo as grandes empresas de tecnologia podem continuar a ignorar o problema Hunter [do presidente Biden]”, disse ele em outro post.

“É hora de uma audiência”, concluiu o legislador republicano.

 

Entre para nosso canal do Telegram

Assista também:

 
Matérias Relacionadas