Benefícios abundam no serviço público na China

Candidatos ao exame do serviço público nacional em 2005 em Pequim. Os vastos benefícios oferecidos pela burocracia chinesa têm sido severamente criticados pela população (Dennis Pu/ChinaNewsPhotos)

Na China imperial os funcionários-estudiosos eram selecionados com base num rigoroso sistema de meritocracia, assim satisfazendo as tradições culturais e as necessidades do poder político; hoje, na China comunista, os funcionários estão satisfeitos apenas com a segunda parte da equação, desde que os deveres e obrigações sejam poucos e as regalias abundem. Com uma taxa média de demissão de apenas 0,05% e uma pensão igual ao salário, empregos públicos são tão sólidos quanto uma “tigela de arroz de ouro”.

Logicamente, tais empregos também estão em demanda altíssima. Um artigo do Noticiário da Manhã de Heilongjiang em 25 de março mostrou que o número de novos funcionários públicos chineses aumentou em cerca de um terço em apenas três anos. Em 2009, quase 1 milhão de pessoas fizeram o Exame Nacional de Serviço Civil; seguido por 1,04 milhão em 2010; 1,29 milhão em 2011 e 1,33 milhão em 2012.

O artigo, que foi posteriormente excluído-censurado da internet, menciona uma oficial do departamento de impostos da cidade de Qiqihar de pseudônimo Zhang Hong, que incentivou o marido, um professor da escola primária, a fazer o exame e se tornar um funcionário do governo local.

“Você certamente não ganhará tanto quanto um trabalhador de colarinho branco, além de não haver pressão”, disse ela. “Você não tem de se preocupar com seu desempenho ou sobre ser demitido. Não importa se você trabalha duro ou não. Se você tiver sorte, você pode se tornar chefe um dia, o que seria muito bom.”

Além do salário básico, há uma série de benefícios: funcionários do governo se qualificam para habitação subsidiada, bem como subsídios de transporte, alimentação e feriados. Pessoal feminino obtêm gratuitamente itens higiênicos.

Muitos funcionários públicos se tornaram ricos comprando imóveis baratos (subsidiados) e vendendo com enorme lucro. Na cidade de Harbin, por exemplo, o desenvolvimento imobiliário no distrito que margeia o rio local oferece casas novas no valor de cerca de 10 mil yuanes por metro quadrado (US$ 1.932 por m²) segundo o preço de mercado. Mas funcionários do governo podem comprá-las por menos de metade desse valor, por 4 mil yuanes por metro quadrado (US$ 773 por m²).

Para os estudantes que saem da faculdade, adquirir um emprego confortável no governo pode ser altamente sedutor, com o potencial de melhorar seu status e benefícios sociais, ter residência numa grande cidade e outros ganhos. Embora o salário seja básico, a segurança no emprego é incomparável.

Todas essas gratificações têm atraído os que se destacam em outras áreas, incluindo ciências, engenharia e administração – assim, o público reclama que o serviço público está sugando o capital humano produtivo.

“O padrão de vida dos funcionários públicos chineses tem superado a média populacional em países desenvolvidos, mas à custa do interesse geral do povo”, disse um usuário da internet. “Dez contribuintes pagam por um chefe de divisão, 50 por um chefe de gabinete e 100 por um ministro […] E isso sem incluir o dinheiro dos subornos.”

Outro internauta comentou, “O resultado é que este sistema social se tornou uma fonte de lucro, ao invés de um serviço ao povo, e isso não está certo!”

Epoch Times publica em 35 países em 21 idiomas.

Siga-nos no Facebook: https://www.facebook.com/EpochTimesPT

Siga-nos no Twitter: @EpochTimesPT

 
Matérias Relacionadas