Banco Popular da China procura novo chefe

Duas pedestres passam diante do Banco da China em Pequim em 2010 (Liu Jin/AFP/Getty Images)

Especulações não faltam sobre quem será o novo chefe do Banco Popular da China (BPC), o Banco Central do país. Cinco candidatos estão na corrida enquanto os mercados se preocupam com a continuação das reformas.

Zhou Xiaochuan, o atual presidente do BPC não conseguiu ser reeleito como membro do Comitê Central do Partido Comunista Chinês (PCC) durante o 18º Congresso Nacional e é esperado que se aposente, pois já tem 65 anos. De acordo com a convenção do PCC, a participação no Comitê Central é obrigatória para assumir a posição de chefe do BPC.

Os cinco agentes financeiros eleitos para o Comitê Central do PCC durante o 18º Congresso são os prováveis candidatos. Eles incluem Guo Shuqing, presidente da Comissão Reguladora de Títulos da China (CRTC); Xiang Junbo, presidente da Comissão Reguladora de Seguros da China, e Shang Fulin, presidente da Comissão Reguladora Bancária da China.

Guo Shuqing

Guo Shuqing, de 56 anos e graduado em Oxford, é o principal candidato até agora. Quando ele trabalhou na Comissão de Planejamento e Desenvolvimento do Estado, ele realizou pesquisa sob a tutela de Wu Jinglian, um dos maiores economistas da China, traçando o curso da reforma econômica na China.

Desde que se tornou presidente do CRTC em outubro de 2011, Guo Shuqing implementou várias políticas novas, tais como pagamentos de dividendos obrigatórios por empresas listadas, tolerância zero à negociação de informações privilegiadas, reforma do sistema de IPO e encorajamento de inovações na negociação de títulos, segundo artigos da mídia estatal.

O Semanário Popular do Sul disse que dentro de 100 dias após assumir sua posição, Guo Shuqing passou de ser um mero acadêmico sobre a reforma para um implementador. Durante uma entrevista com o jornal japonês Asahi Shimbun, ele disse que “acredita no mercado e na reforma”.

Xiang Junbo

Xiang Junbo, de 55 anos, é PhD em Direito pela Universidade de Pequim e ex-presidente do Banco Agrícola da China. Os empréstimos inadimplentes do banco caíram significativamente depois que ele se juntou ao banco em 2007, segundo a Rádio France Internationale (RFI). Xiang Junbo é atualmente presidente da Comissão Reguladora de Seguros da China.

Shang Fulin

Shang Fulin, de 61 anos, é presidente da Comissão Reguladora Bancária da China. Ele tem um PhD em Finanças e já trabalhou no BPC por muitos anos. Ele é conhecido por sua prudência.

Um pensativo Zhou Xiaochuan pondera sobre seu destino antes dos encontros do FMI e do Banco mundial, nos quais ele não esteve presente neste ano (Alex Wong/Getty Images)

Incertezas futuras

O BPC é parte do Conselho de Estado. Todas as decisões importantes, incluindo ajustes de taxas de juros, são feitas pelo Conselho de Estado. Analistas acreditam que a saída do atual chefe Zhou Xiaochuan não terá qualquer impacto imediato sobre as políticas cambiais chinesas.

Durante o mandato de Zhou Xiaochuan como chefe do BPC, houve vários problemas sobre a moeda. O amplo suprimento de dinheiro da China ultrapassou 94,37 trilhões de yuanes (15 trilhões de dólares) no final de setembro, o que é duas vezes o PIB de 2011 do país e 1,5 vezes maior do que o dos Estados Unidos.

Isso foi amplamente visto como a causa da inflação na China. No entanto, Zhou Xiaochuan publicou artigos que afirmam que a China não imprimiu ou circulou dinheiro excessivamente.

Em 2005, o regime decidiu que, eventualmente, o yuan deveria flutuar livremente em relação ao dólar. Ao invés de fazer uma mudança abrupta e abandonar a paridade cambial, a taxa de câmbio deveria gradualmente se apreciar até um valor “justo”. Como resultado, o yuan, ainda gerido estritamente, subiu 30% em relação ao dólar desde 2005.

Quando Guo Shuqing era presidente do CRTC no ano passado, o mercado de ações chinês permaneceu deprimido. Um total de 3,2 bilhões de yuanes (512 milhões de dólares) teria se evaporado do mercado de ações chinês, segundo o United Daily News de Taiwan.

Apesar disso, antes do 18º Congresso do PCC, o mercado ainda tinha grandes esperanças na reforma do mercado orientada por Guo Shuqing, disse uma fonte à Reuters chinesa. Agora que o congresso terminou, não está claro se a reforma avançará ou mesmo se existe, disse ele.

Epoch Times publica em 35 países em 19 idiomas.

Siga-nos no Facebook: https://www.facebook.com/EpochTimesPT

Siga-nos no Twitter: @EpochTimesPT

 
Matérias Relacionadas