Bai Juyi, o poeta do “Novo Verso” e um contemplador da natureza humana

O poeta Bai Juyi, pintura de Chen Hongshou (Wikimedia Commons)

Bai Juyi (772-846 d.C.) foi um famoso poeta na Dinastia Tang da China. Seus poemas são simples e de fácil compreensão e sempre foram acolhedoramente recebidos entre as pessoas comuns.

Ao contrário de outros grandes poetas que só foram reconhecidos postumamente, Bai Juyi ganhou fama e respeito tanto em sua terra natal e além, especialmente entre os jovens. Nas duas décadas do seu auge, seus poemas podiam ser vistos nas paredes de templos e hospedagens e foram até usados como moeda nos mercados. Dizia-se que nos mercados populares, pessoas comuns vestiam seda e estudiosos copiavam poemas de Bai Juyi para negociar por outros itens. Ministros também encarregavam agentes de comprarem poemas de Bai Juyi mesmo que tivessem de pagar fortunas.

Um de seus poemas diz: “O fogo vermelho faísca na lareira e se reflete no novo, verde e perfumado vinho. Uma imagem calorosa e maravilhosa, no inverno frio em que tudo se aquieta. A neve parece estar caindo no entardecer e eu contemplo se meu melhor amigo gostaria de vir e pôr a conversa em dia, em companhia do novo vinho!?”

Nesse poema, Bai Juyi descreve eventos cotidianos com palavras simples e claras, mas a atmosfera é descrita cheia de afetuosa emoção.

Comparado com outros poetas, Bai Juyi escreveu muito mais “poemas alegóricos”, refletindo sua profunda preocupação com o sofrimento das pessoas e sua natureza justa e solidária pelas vítimas da pobreza. O poder perene de sua benevolência está preservado em seus poemas. Mas ele não se preocupava apenas com os pobres e sofridos da alma, ele também olhava para si e sentia-se envergonhado por sua vida bem aventurada.

Bai Juyi viveu num período extremamente turbulento, quando a Dinastia Tang começou a declinar. Sua contribuição para a poesia foi estabelecer uma teoria poética em defesa do realismo. Ele desencadeou um movimento chamado de campanha do “Novo Verso”. Muitos excelentes poemas nessa categoria foram criados desde então.

Essa campanha argumentava que a criação poética devia refletir a realidade e ser inspirada em fatos reais e circunstâncias sociais. A campanha teve grande impacto na arte e na história e recebeu amplo apoio.

Bai Juyi destacou-se no exame imperial com 28 anos e foi reconhecido e bem-sucedido desde então, até ser rebaixado aos 44 nos. Então, ele mudou seu estilo de vida e escrita poética. Em momentos melancólicos, ele voltava sua atenção para as paisagens e seus poemas moldavam-se em conformidade, buscando horizontes mais amplos e o desapego pelas coisas mundanas. No fim da vida, ele viveu em reclusão, converteu-se ao budismo e dedicou-se a sua prática. Em 846, quando tinha 75 anos, em casa, ele partiu, em silêncio.

Para conhecer outras figuras históricas da antiga China, clique aqui.

Epoch Times publica em 35 países em 21 idiomas.

Siga-nos no Facebook: https://www.facebook.com/EpochTimesPT

Siga-nos no Twitter: @EpochTimesPT

 
Matérias Relacionadas