Autoridades de Nova Iorque enaltecem manifestantes pacíficos e apoiam polícia

Nova Iorque, 4 jun – Autoridades de Nova Iorque elogiaram nesta quinta-feira os protestos pacíficos contra o racismo sistêmico realizados na última noite, ao afirmarem que grande parte dos manifestantes respeitaram o toque de recolher na ‘Big Apple’, e repudiaram “momentos específicos” de violência.

O prefeito da cidade, Bill de Blasio, comentou em entrevista coletiva que “a ampla maioria dos nova-iorquinos respeitou o toque de recolher”, e pediu para que o movimento continue a “progredir”, mas lamentou incidentes como o ocorrido no Brooklyn, quando três agentes encarregados de evitar saques foram feridos em um “ataque sem provocação”.

“Vimos o efeito positivo (do toque de recolher), vimos o impacto na noite de terça-feira, que foi muito melhor que as anteriores. E a noite de quarta-feira foi melhor do que a de terça-feira, mas isso requer respeito de todas as partes”, anunciou o governante.

De Blasio ressaltou que os manifestantes precisam “escutar” quando as autoridades dizem que “já é suficiente”.

Na quarta-feira, muitos manifestantes protestaram em diferentes pontos da cidade depois das 20h, quando entrava em vigor a proibição. Uma hora mais tarde, as forças da ordem começaram a fazer detenções, que terminaram com 180 detidos, menos do que nos dias anteriores.

“Nas últimas duas noites, o elemento criminal foi contido. Os saques e o vandalismo foram contidos. E o protesto pacífico durante o dia foi respeitado sem grandes incidentes”, acrescentou o prefeito, que parabenizou a polícia, ao defender que os agentes usem “o mínimo de força” e só quando necessário.

Homenagem a Floyd em Nova Iorque

De Blasio destacou que nesta quinta-feira é celebrada no Brooklyn uma homenagem a George Floyd – homem negro morto após ser sufocado pelo policial branco Derek Chauvin -, que contará com parentes e coincidirá com o funeral em Minneapolis, onde morava e foi assassinado.

Em outra entrevista coletiva, o governador de Nova Iorque, Andrew Cuomo, anunciou um minuto de silêncio em todo o estado durante o início do ato solene em Minneapolis para expressar solidariedade diante do assassinato que desencadeou protestos pelo país.

“Compartilho a indignação” com os manifestantes, frisou o governador, que disse estar na hora de uma mudança em nível nacional diante do racismo sistêmico e da injustiça sofrida pela população negra. Segundo ele, a mudança só ocorrerá com uma grande mobilização.

Cuomo também enalteceu o clima pacífico dos protestos na noite passada e destacou que os manifestantes não têm nada a ver com os saqueadores que agiram nos últimos dias, em meio às manifestações.

Aos saqueadores, o político pediu dureza, defendendo que sejam denunciados e não saiam em liberdade imediatamente. Cuomo repudiou ataques contra a polícia e elogiou o trabalho dos agentes para controlar a situação.

 
Matérias Relacionadas