Automassagem chinesa

A automassagem chinesa

O nosso corpo possui vários sistemas: respiratório, cardiovascular, digestório, nervoso, entre outros. Além desses, conhecidos pela ciência ocidental, existe o sistema energético, conhecido pelas ciências tradicionais dos indianos, chineses, japoneses e de outros povos.

Especialmente o povo chinês e, mais especificamente, os médicos e terapeutas da Medicina Tradicional Chinesa (MTC), desenvolveram um extraordinário e rico conhecimento sobre a estrutura energética que permeia todo organismo humano. Eles identificaram, mapearam e compreenderam, de forma bastante profunda e completa, o sistema energético que forma a base da qual todas as estruturas físicas e demais sistemas orgânicos derivam.

É por meio da compreensão do funcionamento saudável do sistema energético e, portanto, também da observação dos desequilíbrios que o acometem, que a MTC pode diagnosticar e tratar doenças e, inclusive, identificar desequilíbrios profundos e tratar doenças latentes, muito antes que exames clínicos ocidentais ou laboratoriais os constatem.

Para os ocidentais, a terapia que aborda e interage com o sistema energético humano mais conhecida é a acupuntura, que, falando de forma bastante simples, usa agulhas para intervir e manipular os fluxos de energia nos meridianos (canais por onde corre a energia – ‘qi’ em chinês), de modo a regular e estabilizar as funções energéticas  do corpo em desequilíbrio.

Na ponta dos dedos

Assim como a acupuntura, a massagem chinesa (Tui-Na) utiliza basicamente as mãos e os dedos para estimular pontos específicos dos meridianos de energia e regiões reflexas do corpo (como, por exemplo, a planta dos pés), harmonizando funções e recompondo a saúde.

Os estímulos são simples e fáceis, e têm resultados rápidos e notáveis

Embora pareça difícil encontrar os pontos ou pensesse que aplicar a massagem seja trabalhoso e demorado, o resultado pode ser muito mais surpreendente do que se imagina, promovendo benefícios e resultados, às vezes, muito superiores e mais duradouros que o uso de remédios químicos. Além disso, é incrível poder aprender sobre pontos e regiões em seu próprio corpo que servem como remédios naturais para vários tipos de problemas.

Pequenas receitas para pequenos problemas

Vamos ensinar algumas técnicas gerais para problemas cotidianos. É claro que essas pequenas “receitas” (pontos e estratégias combinadas) devem ser utilizadas apenas como forma momentânea de aliviar sintomas e regular funções – ainda que em alguns casos elas sejam totalmente efetivas no saneamento de distúrbios simples. Caso os sintomas sejam recorrentes ou muito intensos, é preciso procurar um médico ou terapeuta que aplique a MTC.

Técnicas

Falando de forma simples e geral, existem basicamente dois tipos de estímulos que podemos aplicar em pontos e regiões: a sedação e a tonificação. A sedação dispersa ou descarrega o excesso de energia, acalmando funções e pacificando processos fisiológicos e psicológicos. A tonificação agrega e acumula energia onde falta, fortalecendo capacidades e habilitando funções físicas e psíquicas.

Porém, aqui utilizaremos uma linguagem cotidiana e acessível, ao ensinarmos os tipos de estímulos específicos. Quanto aos pontos, os localizaremos de forma simples, mas, se necessário, pode-se consultar um mapa de pontos, livro ou manual terapêutico.

Em geral, os pontos devem ser estimulados bilateralmente, em ambos os membros, e nas duas metades do corpo. O tempo médio de estímulo é de 2 minutos em cada ponto (sendo 2 minutos num dos lados do corpo e mais 2 minutos no outro lado), mas pode variar de acordo com o tamanho da região ou a necessidade do estímulo. Procure começar sempre pelo lado esquerdo do corpo.

A massagem pode ser feita com qualquer dedo, mas o polegar, normalmente, é o mais fácil de usar. Para um estímulo médio, pressione suavemente a região ou ponto a ser estimulado com o dedo, fazendo um movimento circular, lento (uma vez por segundo), agradável e contínuo. Para a sedação pressione o dedo firmemente sobre o ponto, segurando-o durante o tempo requerido. Para a tonificação, apenas toque o ponto suave e continuamente, ou massageie o ponto de forma lenta e bastante suave e de forma circular (horária) e contínua.

Pontos

IG-11: com o cotovelo dobrado em noventa graus, forma-se uma linha na parte externa, entre braço e antebraço; o ponto fica a meio centímetro do final da linha.

PC-6: fica na parte interna do antebraço, à distância de dois polegares da linha do pulso, bem no centro, entre dois grandes tendões.

C-7: fica no lado interno do antebraço, na linha do pulso, na direção do dedo mínimo, ao lado interno do tendão.

IG-4: fica no dorso da mão, no meio do músculo que fica entre o polegar e o indicador.

BP-10: fica na parte interna da coxa, a cerca de 3 cm acima da borda interna da patela, traçando-se uma linha diagonal num ângulo de uns 30 graus.

BP-9: fica a cerca de 4 cm abaixo da borda inferior da patela, na borda interna da tíbia.

VB-34: fica a cerca de 4 dedos do joelho, na parte externa da perna, cerca de meio centímetro abaixo da parte interna da cabeça da fíbula, numa pequena fossa.

BP-6: fica na borda interna da tíbia, a 4 dedos acima do maléolo interno do tornozelo.

R-3: fica na parte interna do tornozelo, exatamente entre o maléolo e o tendão de Aquiles.

B-60: fica exatamente entre o maléolo externo do tornozelo e o tendão de Aquiles.

F-3: fica a cerca de 1 cm acima da comissura que une o hálux e o segundo dedo do pé, numa pequena depressão, entre dois ossos.

Ponto do equilíbrio: fica 1 cm acima da comissura que une o quarto e o quinto dedo do pé, entre os dois ossinhos.

R1: divida a sola do pé em 3 partes; contando da ponta dos dedos até o fim do calcanhar: fica no final do primeiro terço pé, bem no meio, a meio centímetro da “almofada do pé”.

*Lembrete – I. Esses pontos são proibidos de se utilizar durante a gravidez: VB-21, IG-11, IG-4, BP-10, BP-9, E-36, B-60.

*Lembrete – II. No caso de crianças e idosos todos os estímulos precisam ser mais delicados e cuidadosos.

Distúrbios

Ansiedade ou temor: massagear suave e circularmente, no sentido horário, durante 2 minutos, bilateralmente, o ponto PC-6. Depois, massagear da mesma forma o ponto C-7. Massagear, igualmente, o ponto BP-6. Finalizar, massageando suavemente o ponto R1.

Angústia: massagear por uns 2 ou 3 minutos, suave e circularmente (sempre no sentido horário), o osso esterno, na altura dos mamilos. Massagear suave e circularmente (no sentido horário) o ponto PC-6 em cada antebraço e o igualmente o ponto C-7 em cada pulso.

Depressão: massagear suavemente o ponto F-3. Massagear suavemente o Ponto do equilíbrio bilateralmente. Dar pequenas pancadinhas, durante 1 ou 2 minutos, com a mão fechada, na região que fica a cerca de 4 dedos abaixo do fim da patela, na parte frontal de ambas as pernas, próxima ao lado externo da tíbia. Massagear suave e circularmente (no sentido horário) o osso esterno (na altura entre os mamilos e também 2 cm acima) por uns 2 ou 3 minutos. Massagear suavemente os pontos C-7 de cada pulso. Massagear suavemente o ponto IG-4 bilateralmente.

Irritabilidade, tensão, estresse e hipertensão leve: massagear profunda e circularmente (com intensidade média) com ambas as mãos (usando todos os dedos), todas as fossas musculares que estão abaixo do osso occipital (fica entre o fim do crânio e o início do pescoço), por uns 3 minutos. Escovar os cabelos (passando bem pelo couro-cabeludo) com certo vigor, indo desde a parte frontal até a nuca, por uns 3 minutos (podem-se usar os dedos se não houver escova: o resultado é muito bom). Massagear com certo vigor o músculo trapézio de ambos os lados do pescoço (as grávidas não devem massagear com força essa região); massagear C-7 suave e circularmente (no sentido horário); pressionar continuamente o ponto IG-4. Manter os dedos das duas mãos simultânea e suavemente sobre os pontos IG-11. Pressionar continuamente o ponto VB-34. Massagear o ponto R-3.

Fraqueza, cansaço e hipotensão: durante 3 minutos apoiar suavemente a mão horizontalmente na parte interna da perna, deixando a borda externa do dedo mínimo a 1 centímetro de distância do maléolo interno do tornozelo. Depois, apoiar por mais 3 minutos as mãos suavemente na lateral da perna, sobre a região do ponto VB-34 e em todo o perímetro de 5 cm abaixo. Colocar as duas mãos suavemente sobre a região dos rins por 3 minutos. Colocar a mão direita sobre o umbigo e em todo o perímetro 5 cm abaixo e, ao mesmo tempo, colocar a mão esquerda sobre o topo da cabeça. Para quem tem uma bolsa térmica ao alcance, usar a bolsa quente em todos esses locais, ao invés das mãos, por 3 minutos em cada local. Mas, nesse caso, não coloque a bolsa quente na cabeça. Use-a por último apenas na região que compreende o umbigo e o todo o perímetro 5 cm abaixo.

Enjoo, má digestão e azia: massageie suavemente PC-6 por 2 minutos. Depois deslize suavemente a mão desde o final do osso esterno até abaixo do umbigo, durante 2 a 3 minutos, sempre de cima para baixo. Massageie suavemente IG-4. Massagear com a palma da mão suavemente (no sentido horário) sobre o umbigo e, ao mesmo tempo, todo perímetro de uns 4 cm ao seu redor. Massageie com a palma da mão a parte lateral da perna a uns 2 cm abaixo do ponto VB-34. E, por fim, massageie suavemente o ponto BP-6 bilateralmente.

Cólicas menstruais. Se a cólica vem acompanhada de fraqueza, cansaço, corpo e costas pesados, extremidades frias, às vezes tontura ou até anemia (nesses casos, usar alimentos e suplementos que fortalecem o sangue e a vitalidade, como: levedura de cerveja, tutano, inhame, melado de cana, mocotó, Angelica sinensis – em chinês: Dong quai), usar bolsa de água quente na região que vai do maléolo interno do tornozelo até uns 6 cm acima. Depois colocar a bolsa quente na parte interna das coxas em todo o perímetro que vai do joelho até uns 6 cm acima. Colocar a bolsa na região lombo-sacral. Finalizar colocando a bolsa quente sobre o baixo ventre. Em cada lugar desses a bolsa quente deve ser mantida por uns 3 minutos. Já, se a cólica vem junto com irritabilidade, tensão, calor e sensação de inchaço no baixo-ventre, massagear com um certo vigor o ponto BP-10 – o ponto pode estar dolorido, mas persista na massagem, que ele será aliviado. Depois, massagear com certo vigor o ponto BP-9 – o ponto pode estar bem dolorido; persista na massagem, porque o resultado será bom. E, por fim, massageie com um pouco de vigor o ponto BP-6. Não basta sair das crises e não importa o tipo de cólica que seja: é preciso procurar um profissional da MTC para encontrar os motivos da cólica e se tratar corretamente, porque podem estar ocorrendo distúrbios ginecológicos importantes.

Dor de cabeça

Como regra geral, se as dores são repentinas e intensas, podendo ser acompanhadas por calor, rosto vermelho, irritabilidade, boca amarga ou seca, tensão muscular etc, então existe um excesso de energia, que precisa de uma técnica de sedação. Se as dores são lentas e graduais, mas não muito intensas, podendo vir acompanhadas de cansaço, fadiga, sono, lassidão, frio, respiração fraca, peso ou frio nas costas etc, então se trata de uma deficiência de energia ou nutricional (que forma o sangue), precisando, então, de uma técnica de tonificação.

Utilizaremos pontos e técnicas de acordo com as regiões da cabeça afetadas, apenas para uma abordagem geral.

Cefaleia temporal, parietal e por detrás dos olhos: massagear profunda e circularmente (com intensidade média) com ambas as mãos (usando todos os dedos), todas as fossas musculares que estão abaixo do osso occipital (fica entre o fim do crânio e o início do pescoço), por uns 3 minutos. Massagear suave e circularmente as têmporas por uns 2 ou 3 minutos. “Escovar” com os dedos toda a parte lateral da cabeça, indo da parte frontal até a nuca, por uns 3 minutos. Massagear os ombros (no músculo trapézio, de cada lado do pescoço) com certa intensidade. Massagear circularmente, com certo vigor – ou pressionar continuamente – o ponto IG-4. Pressionar firme e continuamente o ponto VB-34. Pressionar contínua e firmemente o ponto F-3.

Cefaleia no topo da cabeça. Normalmente é fraca, pesada e cansativa. Deve-se a uma deficiência da energia do fígado. Colocar suavemente a mão ou massagear suavemente sobre o ponto F-3 por uns 2 minutos – num pé e depois no outro. Depois colocar as mãos suavemente sobre VB-34 por uns 3 minutos. Colocar as mãos sobre os rins por uns 3 minutos. Massagear suavemente ou apenas tocar suave e continuamente o ponto IG-4. Depois colocar as mãos sobre a região logo abaixo do umbigo por 3 minutos. E depois deixar a mão direita nessa região e colocar a outra no topo da cabeça.

Cefaleia frontal: massagear suavemente todo o lóbulo da orelha por uns 3 minutos (podem ser os dois lóbulos simultaneamente). Massagear IG-4 suavemente. Massagear suavemente PC-6. Deslizar a mão de cima para baixo, desde o esterno até abaixo do umbigo, várias vezes, por uns 2 ou 3 minutos. Massagear suave e circularmente (sentido horário) com a palma da mão sobre o umbigo e, ao mesmo tempo, todo perímetro de uns 4 cm ao seu redor. Massagear suavemente BP-6.

Cefaleia na nuca (região occipital): massagear profunda e circularmente (com intensidade média) com ambas as mãos (usando todos os dedos), todas as fossas musculares que estão abaixo do osso occipital (fica entre o fim do crânio e o início do pescoço), por uns 3 minutos. Massagear suave, profunda e agradavelmente todo o pescoço por uns 3 a 5 minutos. Massagear os ombros (o músculo trapézio) com certo vigor por uns 4 minutos. Massagear com certa intensidade ou pressionar continuamente o ponto VB-34. Massagear, com estímulo médio, o ponto B-60, bilateralmente, por uns 4 minutos.

 

Alberto Fiaschitello é terapeuta naturalista e cientista social

 
Matérias Relacionadas