Australianos não vacinados são avisados que ‘A vida está prestes a ficar muito difícil para vocês’

Comprovante de vacinação também é exigido para bares, tavernas, hotéis e grandes eventos

Por Daniel Khmelev 

O primeiro-ministro da Austrália Ocidental, Mark McGowan, deu um aviso claro de que os residentes não vacinados sofrerão as consequências dos passaportes de vacinação assim que as restrições nas fronteiras diminuírem no próximo mês.

“Se você, por algum motivo, ainda não tomou sua primeira dose, meu conselho seria fazer uma reserva hoje, caso contrário, a vida está prestes a ficar muito difícil para você”, declarou McGowan aos australianos ocidentais, no dia 10 de janeiro.

Atualmente, 86,3% da população de 12 anos ou mais do estado foi totalmente vacinada. Das pessoas entre 16 e 49 anos, quase um em cada dez ainda não recebeu uma dose da vacina. Isso aumenta para mais de um em cada quatro entre aqueles entre 12 e 15 anos.

O número considerável de residentes não vacinados em toda a Austrália Ocidental ocorre apesar dos abrangentes decretos de vacinação, com mais de 75% da força de trabalho do estado – equivalente a mais de um milhão de trabalhadores – necessitando serem totalmente vacinados.

Uma comprovação de vacinação também é exigida para bares, tavernas, hotéis e grandes eventos com capacidade para mais de 500 pessoas, com restrições sendo implementadas após o estado registrar dois casos de transmissão comunitária pelo vírus do PCC.

Membros do público esperam para serem vacinados em uma clínica de vacinação em massa contra a COVID-19, em Midland, um subúrbio oriental de Perth, na Austrália, no dia 9 de setembro de 2021. Atualmente, a Austrália Ocidental tem a menor porcentagem de pessoas vacinadas com duas doses no país (AAP Image/Richard Wainwright)
Membros do público esperam para serem vacinados em uma clínica de vacinação em massa contra a COVID-19, em Midland, subúrbio oriental de Perth, na Austrália, no dia 9 de setembro de 2021. Atualmente, a Austrália Ocidental tem a menor porcentagem de pessoas vacinadas com duas doses no país (AAP Image/Richard Wainwright)

No entanto, McGowan prometeu que nos próximos dias um sistema de passaporte de vacina de longo prazo será lançado e cobrirá uma ampla gama de novos locais, incluindo restaurantes e academias cobertas.

Ele acrescentou que os indivíduos não vacinados enfrentaram o bloqueio de Pilbara – uma região que abriga muitas das atrações turísticas mais valorizadas do estado – devido à taxa de vacinação na região estar bem abaixo de 60%.

McGowan explicou que as medidas intensificadas chegam antes da reabertura do estado, com as restrições nas fronteiras diminuindo a partir do dia 5 de fevereiro.

“Esta política entrará em vigor à medida que nos aproximarmos de facilitar os controles de fronteira”, declarou McGowan.

Uma vez que as fronteiras sejam flexibilizadas, os viajantes totalmente vacinados não precisarão mais passar por quarentena obrigatória se retornarem um resultado negativo para o teste da COVID-19, mas aqueles que não estiverem vacinados permanecerão impedidos de entrar.

O premiê justificou as medidas rigorosas, uma vez que aqueles que não receberam a vacina são muito mais propensos a serem hospitalizados pela COVID-19 do que aqueles que estão totalmente vacinados.

“Sabemos que as pessoas não vacinadas são verdadeiramente a maioria quando se trata de casos, doenças graves, hospitalizações, necessidade de terapia intensiva e mortes”, afirmou ele. “Muitos recursos estão sendo usados ​​no leste para cuidar de indivíduos que não tomaram as medidas básicas para cuidar de si mesmos”.

De acordo com dados da Unidade de Inteligência Crítica da COVID-19 de Nova Gales do Sul (NSW), no dia 28 de setembro de 2021, o estado presenciou hospitalizações pela COVID-19 dominadas por indivíduos não vacinados, com 66,9% dos pacientes não vacinados – apesar de representar menos de 10% da população do estado.

No entanto, a admissão de australianos totalmente vacinados infectados pela COVID-19 aumentou gradualmente à medida que a eficácia da vacinação diminuiu contra a nova cepa, Ômicron, do vírus.

Em particular, em janeiro, a NSW pela primeira vez viu o número de totalmente vacinados infectados pela COVID-19 ultrapassar os não vacinados, embora os não vacinados ainda sejam amplamente representados em grande parte devido à sua população.

De acordo com a NSW Health, 93,7% dos residentes do estado com 16 anos ou mais foram vacinados duas vezes, enquanto 78,1% da coorte de 12 a 15 anos receberam duas doses de uma vacina contra a COVID-19.

Entre para nosso canal do Telegram

Assista também:

 
Matérias Relacionadas