Aumento dos preços desencoraja consumo das famílias paulistanas, indica estudo

As famílias têm gastado mais para comprar produtos da cesta básica o que gera um efeito negativo no poder de compra, indica o estudo (Allison Joyce/Getty Images)

De acordo com o estudo realizado mensalmente pela Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado de São Paulo (FecomercioSP), a alta dos preços está desencorajando as famílias paulistanas a consumir. As famílias têm gastado mais para comprar produtos da cesta básica o que gera um efeito negativo no poder de compra.

O estudo é realizado com intuito de indicar as vendas do comércio, a partir do ponto de vista dos consumidores, apontando resultados que podem orientar fabricantes, varejos, consultorias e instituições financeiras, segundo comunicado de imprensa.

A FecomercioSP destacou que o grande incômodo no nível da satisfação das famílias é a inflação.

“Enquanto os preços continuarem pressionando, principalmente no setor de alimentação, deve evitar o aumento da Intenção de Consumo das Famílias (ICF). O importante é que o indicador ainda está no patamar elevado de satisfação o que representa que a maioria das famílias paulistanas está satisfeita com suas condições econômicas”, aponta o estudo.

O ICF é calculado pela FecomercioSP com aproximadamente 2.200 consumidores na cidade de São Paulo. Emprego atual, perspectiva profissional, renda atual, acesso ao crédito, nível de consumo atual, perspectiva de consumo e momento para duráveis são os parâmetros que compõe o ICF. O índice varia entre 0 a 200 pontos. Abaixo de 100 pontos interpreta-se insatisfação e acima de 100, satisfação, explica o estudo.

Taxas da Intenção de Consumo das Famílias de acordo com os parâmetros que compõe o índice. (Fonte FecomercioSP)
A figura indica a variação de Intenção de Consumo das Famílias ao longo dos meses desde agosto de 2009 até outubro de 2012. (Fonte: FecomercioSP)

Epoch Times publica em 35 países em 19 idiomas.

Siga-nos no Facebook: https://www.facebook.com/EpochTimesPT

Siga-nos no Twitter: @EpochTimesPT

 
Matérias Relacionadas