Aumenta o número de detenções em prisões ilegais na China

Mesmo que a China tenha abolido oficialmente seu sistema de campos de trabalho em 2013, o número de detenções em prisões ilegais aumentou.

No ano passado o Minghui relatou que a perseguição do regime comunista contra o Falun Gong não diminuiu. Em vez disso, cada vez mais abusos ocorrem nas instalações secretas, tais como centros de lavagem cerebral ou prisões negras, onde os guardas coagem os praticantes do Falun Gong a renunciarem às suas crenças mediante tortura física e psicológica.

Em 2014, 969 praticantes do Falun Gong foram detidos em 158 centros de lavagem cerebral em 27 províncias, municípios diretos controlados e nas regiões autônomas da China.

Isso representou um aumento de 31,5% no número de praticantes detidos nos centros de lavagem cerebral em comparação a 2013. Enquanto os campos de trabalho foram fechados no segundo semestre de 2013, as detenções nas prisões negras aumentaram quatro vezes. Esta tendência de aumento de detenções extrajudiciais continuou em 2014.

A província de Jilin possui a maioria dos centros de lavagem cerebral (20), seguida de Hubei (16), Shandong, Jiangsu e Hunan (13 cada), Pequim (11) e Anhui (10). As 20 regiões restantes possuem centros de lavagem cerebral na casa de um dígito.

Entre os 969 praticantes detidos nas prisões ilegais em 2014, a província de Jilin também teve a maioria dos detidos: 201 ou 21% do total. Este número é desproporcional a população de Jilin de 21 das 30 regiões administrativas na China. É interessante notar que Jilin é o local do nascimento do fundador do Falun Gong e onde a prática foi introduzida pela primeira vez ao público.

Centros de lavagem cerebral escondidos em hotéis, armazéns e escolas

Para evitar o escrutínio público, os centros de lavagem cerebral têm aparecido em locais clandestinos, incluindo pisos bloqueados em hotéis e escolas. Por exemplo, um mecanismo foi criado em julho de 2014, na Escola Intermediária de Shuangxing, na província de Jilin. Praticantes do Falun Gong locais foram presos e detidos lá.

Na cidade de Jinhua, província de Zhejiang, o governo municipal gastou 200 mil yuanes (c. US$ 32 mil) para remodelar o Hotel Duplo Cênico do Dragão e instalar portas de segurança, barras nas janelas e câmeras de vigilância em cada quarto. O governo assinou um contrato de 15 anos com o hotel para o uso de suas instalações em 230 mil yuanes (c. US$ 37 mil) por ano.

A cidade de Chongqing transformou o extinto Campo de Trabalho Forçado de Xishanping numa prisão negra e a rebatizou oficialmente de “escola de educação legal”, um eufemismo comum para centros de lavagem cerebral. Mais de 50 praticantes do Falun Gong foram detidos nesta instalação.

 
Matérias Relacionadas