Aulas e eventos suspensos em Brasília por cinco dias devido ao coronavírus

Primeira medida do gênero adotada no Brasil e que pode ser prorrogada por mais cinco dias, também determina que as mesas dos restaurantes devem manter uma distância mínima de dois metros entre elas

Por Agência EFE

O governo do Distrito Federal de Brasília decretou nesta quarta-feira a suspensão, por cinco dias, das aulas em todas as escolas e universidades da cidade, bem como de eventos públicos, diante da expansão global do coronavírus.

A medida, a primeira do gênero adotada no Brasil e que pode ser prorrogada por mais cinco dias, também determina que as mesas dos restaurantes devem manter uma distância mínima de dois metros entre elas, conforme publicado no Diário Oficial de Brasília.

Não se sabe se essa restrição afetará as manifestações em apoio ao presidente do Brasil, Jair Bolsonaro, convocadas para este domingo, tanto na capital quanto em dezenas de cidades do país.

Até agora, as autoridades brasileiras de saúde confirmaram quase 70 casos da doença em todo o país e estão investigando outras 900 consideradas “suspeitas”.

Em entrevista ao diário Estado de São Paulo, o ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta, estimou hoje que o Brasil passará “cerca de 20 semanas difíceis” e pediu ao Legislativo apoio financeiro para combater os efeitos do coronavírus.

A maioria dos casos detectados até o momento está no estado de São Paulo, o mais populoso e rico do Brasil.

Até o momento, apenas dois dos casos de coronavírus no país foram confirmados em Brasília, de acordo com o último boletim publicado nesta quarta-feira pelo Ministério da Saúde.

É um casal que viajou no mês passado para o Reino Unido e a Suíça.

A mulher de 52 anos está internada na Unidade de Terapia Intensiva (UTI) e está em estado grave, enquanto o homem está isolado em casa.

Apesar do baixo número, o governador de Brasília, Ibaneis Rocha, optou pela suspensão temporária das aulas, tanto na rede pública quanto na privada de ensino, e por eventos que reuniram mais de cem pessoas.

Paralelamente, a Câmara dos Deputados e o Senado, localizados em Brasília, anunciaram nesta quarta-feira algumas medidas cautelares para impedir a disseminação do coronavírus.

Entre eles, a suspensão de visitas de pessoal externo, bem como sessões solenes e atos partidários.

Da mesma forma, parlamentares, conselheiros e pessoal administrativo que estiveram recentemente em países onde o vírus circula internamente devem entrar em contato com os serviços médicos para monitorar seu estado de saúde.

Se tiverem algum sintoma da doença, eles serão isolados do trabalho por duas semanas, período durante o qual poderão trabalhar eletronicamente.

 
Matérias Relacionadas