Ator italiano pede ajuda em vídeo após sua irmã falecer com coronavírus em casa

"Minha irmã está na cama, morta, não sei o que fazer"

Por Jack Phillips

Luca Franzese, um ator italiano, postou um vídeo nas mídias sociais alegando que precisa de ajuda depois que sua irmã morreu do novo coronavírus, aparentemente mostrando fotos de seu corpo dentro de uma casa.

Franzese, um treinador de artes marciais mistas que apareceu em “Gomorra”, disse em um vídeo que ficou preso em sua casa em Nápoles com sua irmã Teresa Franzese, que morreu do vírus, que causa a doença de COVID-19, durante o fim de semana.

“Minha irmã está na cama, morta, não sei o que fazer”, disse ele no vídeo, segundo uma tradução fornecida pela mídia. “Não posso dar a ela a honra que ela merece porque as instituições me abandonaram. Entrei em contato com todos, mas ninguém pode me dar uma resposta”.

Franzese acrescentou no vídeo que sua irmã também sofria de epilepsia, mas estava com boa saúde antes de contrair o vírus. Não foi até a morte de sua irmã que as autoridades italianas confirmaram que ela havia contraído o vírus e, depois que o caso foi confirmado, ele e outros membros da família ficaram em quarentena por 36 horas, disse ele.

Uma mulher, vestindo uma máscara facial, carrega uma mala na Estação Central de Milão, Itália, em 8 de março de 2020 (Emanuele Cremaschi / Getty Images)

“Estou fazendo este vídeo para o bem da Itália, para o bem de Nápoles. Minha irmã morreu ontem à noite, provavelmente devido ao vírus, e estou esperando respostas desde a noite passada “, disse Franzese no vídeo de acordo com Al Jazeera.

“Eu tive que forçá-los a vir e fazer o teste. Eu tive que me colocar em auto-isolamento. Eu posso ter o vírus. Para manter minha irmã viva, tentei ressuscitá-la com respiração boca a boca e ninguém se importou, ninguém me chamou. Estamos arrasados, a Itália nos abandonou”, acrescentou. “Mas devemos dar força um ao outro”.

Uma autoridade local confirmou as alegações do ator.

“Foi o primeiro caso na Itália em que uma pessoa com o vírus morreu em casa, por isso houve alguma confusão sobre o que fazer”, disse Frances Alonso Emilio Borrelli, vereador e membro da Comissão Regional de Saúde da Campânia, à Al Jazeera. .

Ele acrescentou: “A família [exemplifica] o altruísmo, eles estão fazendo todo o possível para proteger sua comunidade, e a comunidade está ficando perto deles, trazendo comida para eles”.

A família está presa há quatro dias, disse Borrelli, dizendo que ninguém saiu ou retirou o lixo. Ele não deu mais detalhes.

“Está se tornando insalubre e não sabemos o que fazer sobre isso. Alguém tem que ajudá-los “, disse ele.

Até agora, a Itália é o país mais afetado fora da China continental. Mais de 12.000 casos e 800 mortes foram confirmados, confirmaram autoridades de saúde quarta-feira à noite.

O vírus surgiu na China continental em 2019, deixando dezenas de milhares de pessoas doentes no país. Os sintomas incluem falta de ar, problemas respiratórios, febre e podem eventualmente causar pneumonia.

 
Matérias Relacionadas