Asteroide ‘potencialmente perigoso’, passará pela Terra dia 18 de janeiro, eis o que você precisa saber

Asteroide possui aproximadamente o mesmo tamanho de um estádio ou três vezes o tamanho do Taj Mahal

Por Michael Wing 

Uma gigantesca rocha espacial com mais de 2,5 vezes o tamanho do Empire State Building passará pelo planeta Terra no dia 18 de janeiro de 2022, como aquele que, segundo algumas teorias, eliminou os dinossauros há cerca de 65 milhões de anos. Mas não há necessidade de temer. Apesar da designação oficial da NASA como um objeto “potencialmente perigoso”, o asteroide de megatons à deriva representa pouca ameaça para nós na Terra.

Asteroides são planetas menores ou objetos astronômicos, principalmente rochas de formato irregular, que orbitam nosso Sol (ou outros corpos celestes) como planetas não resolvidos, embora não tenham as características de um cometa de cauda. Este asteroide que se aproximava recebeu o nome incômodo de “Asteroide (7484) 1994 PC1” após a data em que foi descoberto – 9 de agosto de 1994 – por Robert McNaught, no Siding Spring Observatory da Austrália.

Quanto ao tamanho potencialmente apocalíptico do objeto, o asteroide (7484) 1994 PC1 tem cerca de 3.280 pés de diâmetro (cerca de 1 km), aproximadamente o mesmo tamanho de um estádio ou três vezes o tamanho do Taj Mahal.

Quão perto chegará?

Esta rocha do tamanho de um estádio orbita o Sol a uma velocidade vertiginosa de 43.754 milhas por hora e, de fato, chegou regularmente perto da Terra ao longo da história. Em 18 de janeiro, a rocha espacial será a mais próxima do nosso planeta desde 1933, e não estará tão próxima por mais 200 anos. No entanto, a massa monolítica passará a cerca de 1,2 milhão de milhas do nosso planeta, cerca de 5,15 vezes a distância da Terra à Lua, criando um sobrevôo inquietante.

Ilustração animada do asteroide (7484) 1994 PC1 se aproximando da Terra, programado para 18 de janeiro de 2022 (Phoenix7777/CC BY-SA 4.0)
Ilustração animada do asteroide (7484) 1994 PC1 se aproximando da Terra, programado para 18 de janeiro de 2022 (Phoenix7777/CC BY-SA 4.0)

Embora o asteroide (7484) 1994 PC1 (aparentemente) não represente perigo para os habitantes da Terra, a NASA classificou o objeto como um “Asteroide Potencialmente Perigoso” (PHA), que é definido como tendo uma distância mínima de interseção orbital de 0,05 ua (unidades astronômicas) ou menos. Nosso próximo visitante é facilmente classificado com uma distância mínima de interseção de órbita de 0,01325 ua (equivalente aos 1,2 milhão de milhas acima mencionados).

Como ver o asteroide (7484) 1994 PC1:

Então, agora que todos os medos acabaram (certo?), como você pode vislumbrar o asteroide (7484) 1994 PC1. Com um brilho de “magnitude 10”, o objeto astronômico, no dia 18 de janeiro, às 18h51 no horário de Brasília, pode ser visto usando um telescópio simples de 6 polegadas ou maior, de acordo com earthsky.org. No entanto, localizar o objeto em movimento relativamente rápido no céu noturno pode ser um desafio.

Você gostaria de rastrear a estrela?

Trajetória no céu do asteroide (7482) 1994 PC1 (Tomruen/CC BY-SA 4.0)
Trajetória no céu do asteroide (7482) 1994 PC1 (Tomruen/CC BY-SA 4.0)

É aqui que você poderá ver o asteroide, de acordo com a earthsky.org: Por volta das 21h25 no horário de Brasília, o objeto pode ser visto perto da estrela de referência HIP 8210; então, às 21h45, aponte seu telescópio para a fraca galáxia IC 1723 para ver nosso visitante cósmico; então, às 22h45, direcione sua visão para o HIP 7620 para localizar o objeto; às 23h35, a rocha espacial passará pela estrela de referência HIP 7184; e por último, às 00h, olhe para a estrela de referência HIP 7011 para ver o asteroide.

Ser capaz de ver esse suposto portador de cataclismo e destruição pode estar além do alcance de todos, exceto dos observadores de estrelas de elite; no entanto, qualquer pessoa pode pesquisar na internet e encontrar algumas fotos postadas por astrofotógrafos experientes de todo o mundo. No mínimo, podemos ficar tranquilos sabendo que não teremos que nos preocupar com outro evento potencial de extinção em massa para este asteroide por mais dois séculos. 

Entre para nosso canal do Telegram

Assista também:

 
Matérias Relacionadas