Assembleia Nacional da Venezuela declara que país vive ditadura

Em sessão extraordinária realizada neste domingo (23), a Assembleia Nacional da Venezuela anunciou golpe de estado praticado por Nicolás Maduro ao impedir o processo de referendo revogatório, transformando o país, oficialmente, numa ditatura socialista.

Uma resolução foi aprovada pelos legisladores, que declara a “ruptura da ordem constitucional e a existência de um golpe de estado cometido pelo regime de Nicolás Maduro”, juntamente com a promessa de que haverá reação através de protestos em massa – com previsão para amanhã (26) – e pressão internacional. Horas antes, a Assembleia havia sido invadida por socialistas defensores do governo de Maduro na tentativa de impedir o andamento da sessão.

Os simpatizantes do governo entraram de forma truculenta na sede da Assembleia Nacional, avançaram sobre a segurança e interromperam o debate, depois do qual se confirmou a violação da ordem constitucional e a existência de um golpe de Estado perpetrado pelo regime de Nicolás Maduro contra a Constituição.

Leia também:
Primeira-ministra britânica quer dar início a Brexit em março
França e Reino Unido iniciam obras de muro para barrar refugiados

Na manhã de domingo (23) os chavistas rondaram as entradas do Palácio Federal Legislativo, e às 13h30 irromperam no prédio, provocando caos e confusão. Foram roubados equipamentos de televisão e telefones.

A oposição ao governo havia declarado mais cedo “a revolta” da Assembleia Nacional devido ao cancelamento de fato do Referendo Revogatório, amparado em decisões dos tribunais regionais não competentes em matéria eleitoral e do Conselho Nacional Eleitoral, responsável por implementar as diretrizes do governo.

 
Matérias Relacionadas