Assassinato de família sino-americana implica oficial chinês

O assassinato de um sino-americano, juntamente com três familiares, em sua casa em Houston, Texas, em janeiro deste ano, estaria relacionado com o ex-chefe da segurança chinesa Zhou Yongkang, que está no centro de uma intensa investigação de corrupção, segundo um jornal chinês no estrangeiro.

O World Journal informou simplesmente que, segundo uma fonte, o assassinato da família “estava relacionado” à investigação de corrupção de Zhou Yongkang. Zhou, antes de se tornar o chefe do aparato de segurança do Partido Comunista Chinês, ocupou cargos de poder no setor de petróleo.

Sun Maoye, de 50 anos, sua esposa e seus dois filhos foram encontrados mortos em sua casa em Cypress, na periferia de Houston, em janeiro deste ano. Todos os quatro foram baleados na cabeça.

Sun Maoye se formou na Universidade Chinesa de Petróleo e trabalhava numa empresa de petróleo em Houston antes de sua morte. De acordo com o World Journal, um número de executivos seniores da PetroChina, que eram relacionados a Sun, também morreram misteriosamente.

O relatório citou Wei Shi, do website chinês de notícias no exterior Boxun, conhecido por seus frequentes relatos privilegiados sobre a política da elite e as lutas de poder na China, que disse que a forma como a família de Sun morreu obviamente aponta para um assassinato premeditado.

Wei Shi disse que fontes lhe informaram que Sun estava envolvido em atividades corruptas que a PetroChina realizava nos Estados Unidos, e que ela e os filhos foram eliminados para evitar que qualquer informação fosse divulgada. A polícia local disse que o FBI está investigando o caso. Eles também ofereceram uma recompensa de US$ 70 mil por informações que levem à prisão dos suspeitos.

 
Matérias Relacionadas