Asfalto é grande vilão do conforto térmico nas cidades

Pesquisa revela que vegetação é peça chave na redução de temperatura e aumento da umidade local
Rua arborizada em Rio Claro, São Paulo em 15 de setembro de 2011 (Cortesia de Isadora Mendes)
Rua arborizada em Rio Claro, São Paulo em 15 de setembro de 2011 (Cortesia de Isadora Mendes)

O asfalto mostrou ser o grande vilão do conforto térmico nas cidades. Temperaturas de até 70°C foram registradas nas horas mais quentes do dia, entre 15h e 16h. Este dado surpreendente foi um dos resultados da pesquisa realizada pela Escola Superior de Agricultura “Luiz de Queiroz” da Universidade de São Paulo.

A pesquisa realizada no município de Rio Claro, São Paulo, avaliou o efeito provocado pela arborização e uso e ocupação do solo sobre a temperatura e umidade em áreas predominantemente residenciais.

“Determinados materiais utilizados na construção civil são os grandes vilões do conforto térmico nas áreas urbanas”, disse a bióloga Isadora Mendes da Silva.

Segundo a pesquisadora, a vegetação é peça chave para minimizar o desconforto térmico pois o sombreamento que executa sobre os materiais promove a redução da temperatura e eleva a umidade. Isso acontece porque a vegetação intercepta, ou seja, bloqueia a radiação direta que chega até esses materiais.

Quanto ao superaquecimento do asfalto, causado pela radiação solar, a pesquisadora sugere uma solução. “A forma mais barata e eficaz para solucionar este problema é promover o sombreamento das superfícies por meio da vegetação arbórea, aumentando a quantidade de árvores e de corredores verdes na malha urbana com espécies de boa densidade foliar e copa ampla”, explica Isadora.

A pesquisa completa pode ser acessada clicando aqui.

A pesquisadora registrou imagens termais do entorno das áreas com uma câmera termográfica. A câmera termográfica registrou as temperaturas de superfície. Na imagem é possível verificar que os tons branco e vermelho são os de maiores temperaturas (Cortesia de Isadora Mendes)
A câmera termográfica registrou as temperaturas de superfície. Na imagem é possível verificar que os tons branco e vermelho são os de maiores temperaturas (Cortesia de Isadora Mendes)
A pesquisadora registrou imagens termais do entorno das áreas com uma câmera termográfica. A câmera termográfica registrou as temperaturas de superfície. Na imagem é possível verificar que os tons branco e vermelho são os de maiores temperaturas (Cortesia de Isadora Mendes)
A câmera termográfica registrou as temperaturas de superfície. Na imagem é possível verificar que os tons branco e vermelho são os de maiores temperaturas (Cortesia de Isadora Mendes)

Epoch Times publica em 35 países em 21 idiomas

Siga-nos no Facebook: https://www.facebook.com/EpochTimesPT

Siga-nos no Twitter: @EpochTimesPT

 
Matérias Relacionadas