Armadilha turística das autoridades chinesas falha gerando enorme prejuízo

Projeto de desenvolvimento imobiliário próximo do Templo Famen na China, projetado para ganhar com o turismo local, não gerou qualquer lucro, apenas dívida, para os oficiais comunistas que o planejaram (Wikimedia)

Funcionários comunistas na província de Shaanxi têm recorrido à contratação de monges falsos para coletar doações na tentativa de recuperar a dívida que criaram com um grande projeto de desenvolvimento perto do antigo Templo Famen.

Autoridades de Xi’an elaboraram um plano para lucrar com o fluxo de turistas que visita o templo de 1.700 anos por meio da construção de um parque cênico nas proximidades, onde edificaram um gigante santuário budista. No entanto, o projeto atraiu apenas uma enorme dívida.

A empresa de fachada teve de emprestar 107 milhões de yuanes (US$ 17 milhões) em 2011 e 320 milhões de yuanes (US$ 52 milhões) no ano passado, segundo uma reportagem do Semanário do Sul.

Quando perderam seus investidores, os oficiais contrataram monges falsos para perambular pelo parque e coletar doações de turistas, dinheiro este que vai para a empresa ao invés do templo.

A empresa está desesperada recorrendo a essas doações fraudulentas, enquanto o gigante santuário foi rotulado um dos edifícios mais feios da China.

Turistas desavisados doaram 54 milhões de yuanes (US$ 8,8 milhões) para o projeto em 2011 e 72 milhões de yuanes (US$ 11,7 milhões) em 2012. Cerca de 26 mil turistas pagaram para ter seus nomes gravados em placas de mérito, relatou o Semanário.

Estátuas foram criadas com preços de doação variando entre 10 e 50 milhões de yuanes para incentivar doadores a patrocinarem uma estátua específica, supostamente em troca de bênçãos, segundo o artigo.

As autoridades têm tentado envolver os verdadeiros monges no projeto, mas eles não aprovaram e não compareceram à cerimônia de abertura do santuário em 2005.

Internautas alertaram os visitantes sobre a verdadeira situação na área e fizeram observações sarcásticas sobre a corrupção no oficialismo.

“O Templo Famen e o Parque Cênico do Templo Famen são coisas totalmente diferentes; todos devem prestar atenção a isso quando viajarem até lá”, escreveu um internauta no Weibo, um serviço de mídia social na China similar ao Twitter.

“Quando você chega ao novo Parque Cênico do Templo Famen, você pode sentir o mau cheiro do dinheiro”, comentou outro.

Um terceiro comentou: “O governo ganha dinheiro com tudo, desde bilhetes de entrada para cidades históricas até doações de dinheiro para templos, recursos médicos, desastres naturais, educação, expropriação de terras, coleta de lixo ou venda de ingressos de cinema. Inacreditável!”

Epoch Times publica em 35 países em 21 idiomas.

Siga-nos no Facebook: https://www.facebook.com/EpochTimesPT

Siga-nos no Twitter: @EpochTimesPT

 
Matérias Relacionadas